“Tu, porém quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás ao teu Pai, que está em secreto…” (Mt. 6:6)

O Segredo da oração é orar em secreto. Quem se entrega ao pecado para de orar. Mas aquele que ora para de pecar. O fato é que somos pobres mas não humildes de espírito.

A oração é profundamente simples, e ao mesmo tempo profunda. “É uma forma de expressão tão simples que até uma criancinha pode exercitá-la.” Mas é igualmente tão sublime que ultrapassa os recursos da linguagem humana, e esgota seu vocabulário. Lançar diante de Deus uma torrente de palavras não irá necessariamente imprensioná-lo ou comovê-lo. Uma das mais significantivas orações do Velho Testamento foi feita por uma pessoa que não pronunciou palavras: “Seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma.” (1 Sm.1:13) De fato ela não tinha grandes dons de oratória.

A oração é para o crente o que o capital é para um homem de negócios.

Não se pode negar que a maior preocupaçãp da igreja de hoje são as finanças. E, no entanto, esse problema que tanto inquieta as igrejas modernas era o que menos pertubava a do Novo Testamento. Hoje damos mais ênfase à contribuição; eles a davam à oração.

Em nosso dias são poucos os que estão dispostos a ssumir a responsabilidade de orar inspirados pelo Espírito, e para esse tipo de oração não há substitutos. Temos que orar, senão pereceremos!

(Extraído do Livro: “Porque tarda o pleno avivamento”)

Leonard Ravenhill  (1907-1994)

Nascido em Leeds, Yorkshire, na Inglaterra, Ravenhill foi educado na Cliff College, Inglaterra, aos pés do ministério de Samuel Chadwick. Foi um estudante de História da Igreja e um perito no campo do avivamento. Suas reuniões ao longo da guerra atraiu grandes multidões na Grã-Bretanha, e como resultado, muitos convertidos devotaram-se ao ministério cristão e aos campos de missões mundiais.

Em 1939, casou-se com uma enfermeira irlandesa chamada Martha. O casal teve três filhos: Paul, David e Philip. Paul e David são ministros do Evangelho, e Philip é professor.

Em 1959, Ravenhill e sua família se mudaram da Grã-Bretanha para os Estados Unidos. Nos anos 60, viajaram pelo país pregando o avivamento em reuniões evangelísticas.[1] 

(Fonte: Wikipedia)