Embora este fato tenha acontecido ano passado, quero deixar registrado aqui, por entender ter sido este um dos acontecimentos importantes de 2016!


No dia 13 de outubro de 2016, a UNESCO (“Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura”) deu a aprovação preliminar a uma resolução ignorando qualquer vínculo entre o Monte do Templo e o Judaísmo. 24 nações votaram a favor, 26 se abstiveram, e apenas seis votaram contra a resolução. Esses seis foram os Estados Unidos, Grã-Bretanha, Lituânia, Holanda, Alemanha e Estônia. O Monte, junto com o muro ocidental adjacente (Lamentações) em Jerusalém é considerado pelos judeus e cristãos como o lugar mais sagrado na terra – o lugar onde os dois templos estavam, e o lugar onde o Messias um dia reinará (Salmo 2 ).

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, comentou, naquela quinta-feira (13 de outubro de 2016), sobre a decisão da Unesco durante um encontro do Círculo de Estudo da Bíblia em sua residência, em Jerusalém.

“Hoje, a organização adotou outra decisão delirante afirmando que o Povo Judeu não tem ligação com o Monte do Templo ou com o Muro das Lamentações. Mesmo que eles não leiam a Bíblia, eu sugeriria aos membros da Unesco que visitem o Arco de Tito, em Roma. Nele, pode-se ver que os romanos trouxeram para Roma depois de destruírem e saquearem o Segundo Templo, no Monte do Templo, há 2 mil anos. Lá, gravada no Arco de Tito, está a Menorá de sete braços que é o símbolo do Povo Judeu e, lembro a vocês, também é o símbolo do Estado Judeu, atualmente.
Em breve, a Unesco vai dizer que o Imperador Tito estava envolvido em propaganda sionista.
Dizer que Israel não tem ligação com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações é como dizer que a China não tem ligação com a Grande Muralha da China ou que o Egito não tem ligação com as pirâmides. Com essa decisão absurda, a Unesco perdeu a pouco legitimidade que ainda lhe restava.
Mas eu acredito que a verdade histórica é mais forte e a verdade prevalecerá. E, hoje, estamos lidando com a verdade”.

 

Resolução da Unesco

Cresci jejuando no Yom Kippur desde bem pequena. Já que morávamos a um bloco da sinagoga, membros da família e amigos frequentemente gastavam os intervalos das reuniões na casa de meus pais. Ainda relembro-me que por anos, perguntei ao meu pai, meus tios, primos, meu rabino: “Onde está o sacrifício? onde está? Se seguimos todas estas normas e regulamentos, onde está o sacrifício?

Depois que me tornei uma seguidora de Yeshua*, tudo isto passou a ter sentido para mim. Eu sei que esta pergunta que queimava em meu jovem coração, era o Espirito Santo direcionando-me para a vida expiatória de Jesus. Como sou grata pelo trabalho dele em mim e pelo coração questionador que Ele me deu!”

Assim como havia dois bodes (no dia da expiação), deve haver ambos um sacrifício pelo pecado e um “carregador dos pecados”. João viu Jesus vindo até ele quando estava batizando aqueles que se arrependiam no rio Jordão, e ele exclamou,

“Hineh! Seh haElohim ha’noseh hatat ha’Olam!’-  “Olhem! o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.”     CORDEIRO2

O Rei Davi entendeu isto. No salmo 25 ele pede perdão pelos pecados duas vezes. Contudo a palavra que frequentemente é traduzida como perdão no verso 18 é diferente daquela usada no verso 11; no primeiro a palavra significa “perdoar”, no segundo ela significa literalmente “carregar”. Perdão de pecados requer ambos um sacrifício de sangue para purificar, e um carregador dos pecados, pra toma-los sobre si. O verso 22 clama a Elohim para “redimir Israel de todas as suas tribulações.” Eles nunca poderão fazer isto por si mesmo, somente o Seu Deus pode prover redenção completa, e isto através do trabalho de Seu Filho: JESUS CRISTO.

_____________________

(*)  Ester, nome fictício de uma judia que se converteu a Cristo e mora em Israel.

(**)  Yeshua é o nome hebraico de Jesus.

O YOM KIPPUR e o testemunho de Ester*, uma seguidora de Jesus em Israel

P1080072Os versos abaixo falam de esperança. No início do ano  Deus me orientou a anotar e junto com meu esposo proclamar versos bíblicos que falassem de esperança. Fizemos isso por várias semanas e experimentamos um renovo em nossas mentes nos alimentando com essa vitamina espiritual chamada Esperança.

Compartilho aqui com voces alguns destes versos:

Eu, porém, confiarei no Senhor; esperarei no Deus da minha salvação.  O meu Deus me ouvirá. (Miquéias 7:7)

E terás confiança, porque haverá esperança; olharás ao redor de ti e repousarás seguro.  (Jó 11,18)

Espera tu pelo Senhor; anima-te, e fortalece o teu coração; espera, pois, pelo Senhor. (Salmos 27:14)

Esforçai-vos, e fortaleça-se o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.” (Salmos 31:24)

Agora, pois, Senhor, que espero eu? a minha esperança está em ti.    (Salmo 39:7)

Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a Ele que é o meu socorro, e o meu Deus. (Salmos 42:11)

Ó minha alma, espera silenciosa somente em Deus, porque dele vem a minha esperança. (Salmo 62:05)

Com tremendos feitos nos respondes em justiça, ó Deus, salvador  nosso,  esperança de todas os confins da terra, e dos mares longínquos; (Salmo 65:5)

Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.” (Sl. 119:74)

“…mas nós, porque somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação;” (1 Tess. 5:8)

Sede vós também pacientes; fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. (Tiago 5:8)

=========

(Quanto à foto que colei neste post, fiz ontem quando visitávamos nossa amiga Margareth, em frente à casa dela…na pequena Sulzburg, que fica a alguns kilometros de Buggingen onde moramos.)

 

Têxtos Bíblicos p/ Proclamação e Fortalecimento Espiritual

Semana passada postei um texto do Asher Intrater, pastor messiânico em Jerusalem, P1060900sobre a importancia de sermos fiéis até o fim.

Mas hoje quero escrever algo sobre a fidelidade de Deus, pois este assunto tem pairado sobre minha mente nos últimos dias, de uma forma muito forte.

Como pessoas criadas à imagem de Deus, deveríamos refletir aquilo que Ele é.  Sendo a fidelidade um dos atributos divinos, deveríamos também ser pessoas fiéis, não é mesmo?? Todavia, fazemos promessas a Deus e às pessoas e falhamos em cumpri-las muitas vezes.

Mas com Deus não é assim:

“Se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si  mesmo.”  (2 Tm. 2:13)

Na medida que crescemos no conhecimento de Deus e nossa intimidade com Ele se intensifica, nos tornamos também pessoas fiéis. Iremos refletir aquilo que Ele é, assim como é natural as crianças ao crescerem tornarem-se como seus pais.

Tozer, em seu livro “Mais perto de Deus” compartilha algumas  sementes preciosas sobre esse  tema:

Toda a nossa esperança de bênçãos futuras se apóia sobre a fidelidade de Deus. As Suas alianças permanecem porque Ele é fiel e honrará suas promessas. Poderemos viver em paz e aguardar com segurança o futuro somente porque temos certeza de  que Ele é fiel. (…) Os filhos da nova aliança, por maiores que sejam as sua provações, podem ter certeza de que Ele jamais deixará de mostrar-lhes a Sua misericordia, nem falhará na Sua fidelidade.”

Tenho ultimamente cantarolado uma canção que foi bem popular alguns anos atrás no Brasil.  Deixo aqui a letra de uma parte da canção pra voce meditar…e que seja essa a oração de nossos corações nos das a seguir:

“Serei fiel ao meu Jesus, serei fiel;
Serei fiel ao meu Jesus, serei fiel.
Há uma carreira para correr,
Há uma vitória para alcançar.
A cada dia ao meu Jesus serei fiel.”

A Fidelidade de Deus

After a young African was martyred for his faith, this writing was found in his room:

 

‘I’m part of the fellowship of the unashamed, the die has been cast, I have stepped over the line, the decision has been made-I’m a disciple of Jesus Christ-I won’t look back, let up, slow down, back away or be still.

My past is redeemed, my present makes sense, my future is secure-I’m finished and done with low living, sight walking, smooth knees, colorless dreams, tamed visions, worldly talking, cheap giving and dwarfed goals

 My face is set, my gait is fast, my goal is heaven, my road is narrow, my way is rough, my companions are few, my guide is reliable, my mission is clear. I won’t give up, shut up, let up until I have stayed up, stored up, prayed up for the cause of Jesus Christ. I must go till He comes, give till I drop, preach till everyone knows, work till He stops me and when He comes for His own, He will have no trouble recognizing me because my banner will have been clear.'”

(Reposted from Muslims For Christ)

Martyred for His Faith

Shalom2

Se voce colocar a palavra “Shalom” no googlesearch, quase todos os links trarão o mesmo significado.

Mas a poucos dias recebi de uma amiga um pequeno comentário do Dr. Eli, que é professor de hebraico em Israel, sobre a palavra Shalom:

É algo intrigante que a palavra  Shalom (Raiz: SH-L-M) está conectada com verbos como “leHaShlim”, que significa “completar o que está faltando” e  “leShalem” que significa fazer um pagamento.

Assim sendo, quando lemos nas escrituras, “Paz seja contigo!” (Shalom Aleichem) sabendo que a palavra Shalom está ligado não só à paz, mas também com a realização de algo que falta ou uma conta paga em nosso nome, ajuda-nos a compreender os ensinamentos bíblicos e contexto  muito melhor do que poderiamos antes”.

Shalom é o resultado de uma convivência harmônica com Deus. O fruto dessa harmonia é harmonia com os outros, prosperidade, saúde, satisfação, enfim um sentimento de bem-estar e plenitude.

Com este novo entendimento saúdo a todos com um caloroso Shalom!

E deixo pra sua meditação um verso bíblico, que é um de meus preferidos, em Efésios 2 vs. 14:

 Porque ele é a nossa paz (Shalom), o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade…” (AA)

SHALOM

A reticência e o Mar de fogo

Dentro do coração que quer falar a Deus, lutam sempre a compulsão e a reticência. (…) Nós nos consolamos, no entanto, com a idéia de que é Deus que coloca em nossos corações o desejo de buscá-lO, tornando possível conhece-lo em parte, e Ele se agrada do mais frágil esforço para torná-lO conhecido.

Se algum observador ou santo que tivesse passado séculos ao lado do mar de fogo, descesse à terra, como seria sem significado para ele a tagarelice incessante dos homens. Como lhe seriam estranhas e como pareceriam vazias as palavras triviais, áridas e inúteis que hoje se ouvem na maioria dos púlpitos todas as semanas. E se algúem fosse falar aqui na terra, não falaria sem dúvida de Deus, fascinando os seus ouvintes com as descrições extasiadas da Divindade? E depois de ouvi-lo, será que consentiríamos novamente em aceitar qualquer coisa inferior à teologia, a doutrina de Deus? Não exigiríamos depois de tal experiencia, qu nos falassem tão-somente da visão do próprio Deus ou então que se calassem totalmente?”

(Mais perto de Deus – A.W. Tozer)

A reticência e o Mar de fogo…

2013-01-02 18.42.18“Porque não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir.”

(Hebreus 13:14 NIV)

O verso acima foi o verso escolhido este ano pelos irmaos Morávios, como o “Losung”, ou seja a senha, palavra-chave para o ano. Eles fazem isso desde  1730. Buscam ao Senhor por um texto na palavra, o qual será o tema do ano.

Quanto a foto, fizemos numa das tardes da primeira semana de 2013, aqui na Alemanha.  Fomos surpreendidos por este lindo por-do-sol, da  janela de onde moramos…

A Palavra-chave para 2013