After a young African was martyred for his faith, this writing was found in his room:

 

‘I’m part of the fellowship of the unashamed, the die has been cast, I have stepped over the line, the decision has been made-I’m a disciple of Jesus Christ-I won’t look back, let up, slow down, back away or be still.

My past is redeemed, my present makes sense, my future is secure-I’m finished and done with low living, sight walking, smooth knees, colorless dreams, tamed visions, worldly talking, cheap giving and dwarfed goals

 My face is set, my gait is fast, my goal is heaven, my road is narrow, my way is rough, my companions are few, my guide is reliable, my mission is clear. I won’t give up, shut up, let up until I have stayed up, stored up, prayed up for the cause of Jesus Christ. I must go till He comes, give till I drop, preach till everyone knows, work till He stops me and when He comes for His own, He will have no trouble recognizing me because my banner will have been clear.'”

(Reposted from Muslims For Christ)

Martyred for His Faith

YOM KIPPUR e o testemunho de uma judia que encontrou Jesus

CORDEIRO2
Cresci jejuando no Yom Kippur desde bem pequena. Já que morávamos a um bloco da sinagoga, membros da família e amigos frequentemente gastavam os intervalos das reuniões na casa de meus pais. Ainda relembro-me que por anos, perguntei ao meu pai, meus tios, primos, meu rabino: “Onde está o sacrifício? onde está? Se seguimos todas estas normas e regulamentos, onde está o sacrifício?

Depois que me tornei uma seguidora de Yeshua*, tudo isto passou a ter sentido para mim. Eu sei que esta pergunta que queimava em meu jovem coração, era o Espírito Santo direcionando-me para a vida expiatória de Yeshua. Como sou grata pelo trabalho dele em mim e pelo coração questionador que Ele me deu!”

Assim como havia dois bodes (no dia da expiação), deve haver ambos um sacrifício pelo pecado e um “carregador dos pecados”. João viu Jesus vindo até ele quando estava batizando aqueles que se arrependiam no rio Jordão, e ele exclamou, “Hineh! Seh haElohim ha’noseh hatat ha’Olam!’- “Olhem! o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” O Rei Davi entendeu isto. No salmo 25 ele pede perdão pelos pecados duas vezes. Contudo a palavra que frequentemente é traduzida como perdão no verso 18 é diferente daquela usada no verso 11; no primeiro a palavra significa “perdoar”, no segundo ela significa literalmente “carregar”. Perdão de pecados requer ambos um sacrifício de sangue para purificar, e um carregador dos pecados, pra toma-los sobre si. O verso 22 clama a Elohim para “redimir Israel de todas as suas tribulações.” Eles nunca poderão fazer isto por si mesmo, somente o Seu Deus pode prover redenção completa, e isto através do trabalho de Seu Filho: Jesus Cristo.

(*) Yeshua, é o nome de Jesus em hebraico.

(De acordo com o Testemunho de N.S, uma discípula, seguidora de Jesus que vive em Jerusalem)

Publicado em Biografia, Escrituras Sagradas

A Bíblia: nosso legado perpétuo

A Bíblia é um presente de Deus pra toda a humanidade. Como declara o salmista  no salmo 119:111 “ela é nosso legado perpétuo, a alegria do nosso coração.” Comecei a amar e ler este livro desde minha infância. Nunca me esqueço do primeiro verso que memorizei, o qual me foi dado pela minha professora de escola dominical, irmã Julia. O verso que caiu em minhas mãos foi Isaías 64:4 – “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com  ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha pra todo aquele que nele espera.”     Pois bematé hoje creio que Deus em sua soberania, fez com que eu recebesse estas palavras, as quais tem marcado minha caminhada com Ele até aqui. Não podemos menosprezar as sementes que Deus coloca em nossas mãos, não é mesmo?  É por isso que quando Deus coloca no meu coração o desejo de compartilhar com alguém uma porção de sua palavra, procuro logo fazê-lo. Pois cada semente da palavra tem um poder transcendente que vai além da limitação de nosso entendimento.

Aos 14 anos ouvi Deus me chamando pra ser testemunha d’Ele às nações. Mesmo me sentindo pequena e incapaz me dispus e respondi “eis-me-aqui!”. Ainda hoje recordo-me de um dos textos bíblicos que Ele usou pra falar comigo várias vezes. Este texto foi o capítulo 6 de Isaías, onde lemos sobre o chamado de Deus ao profeta.

Ah, e quantas vezes encontrei refúgio em momentos de solidão, dúvidas e temores, simplesmente ao ler o capítulo 11 de Hebreus e outros capítulos que nos enchem de fé e encorajamento.

Sou eternamente grata ao Senhor, Deus de Abraão, Isaque e Israel pelo poder que existe na Sua palavra!!

Sou grata também pelo povo que Deus usou pra nos dar a sua palavra, o povo hebreu. Sem eles não teríamos hoje esse livro divino.

Pai, te agradeço por cada semente que plantaste na minha vida, desde minha infância até aqui, bem como pelas pessoas que usastes para semear  Tua palavra na minha vida.

Firma os meus passos na tua palavra e não me domine iniquidade alguma.”  (Salmo 119:133) – Que seja essa a nossa a oração hoje e sempre.