O Segredo da Oração (Por Leonard Ravenhill)

 

“Tu, porém quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás ao teu Pai, que está em secreto…” (Mt. 6:6)

O Segredo da oração é orar em secreto. Quem se entrega ao pecado para de orar. Mas aquele que ora para de pecar. O fato é que somos pobres mas não humildes de espírito.

A oração é profundamente simples, e ao mesmo tempo profunda. “É uma forma de expressão tão simples que até uma criancinha pode exercitá-la.” Mas é igualmente tão sublime que ultrapassa os recursos da linguagem humana, e esgota seu vocabulário. Lançar diante de Deus uma torrente de palavras não irá necessariamente imprensioná-lo ou comovê-lo. Uma das mais significantivas orações do Velho Testamento foi feita por uma pessoa que não pronunciou palavras: “Seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma.” (1 Sm.1:13) De fato ela não tinha grandes dons de oratória.

A oração é para o crente o que o capital é para um homem de negócios.

Não se pode negar que a maior preocupaçãp da igreja de hoje são as finanças. E, no entanto, esse problema que tanto inquieta as igrejas modernas era o que menos pertubava a do Novo Testamento. Hoje damos mais ênfase à contribuição; eles a davam à oração.

Em nosso dias são poucos os que estão dispostos a ssumir a responsabilidade de orar inspirados pelo Espírito, e para esse tipo de oração não há substitutos. Temos que orar, senão pereceremos!

(Extraído do Livro: “Porque tarda o pleno avivamento”)

Leonard Ravenhill  (1907-1994)

Nascido em Leeds, Yorkshire, na Inglaterra, Ravenhill foi educado na Cliff College, Inglaterra, aos pés do ministério de Samuel Chadwick. Foi um estudante de História da Igreja e um perito no campo do avivamento. Suas reuniões ao longo da guerra atraiu grandes multidões na Grã-Bretanha, e como resultado, muitos convertidos devotaram-se ao ministério cristão e aos campos de missões mundiais.

Em 1939, casou-se com uma enfermeira irlandesa chamada Martha. O casal teve três filhos: Paul, David e Philip. Paul e David são ministros do Evangelho, e Philip é professor.

Em 1959, Ravenhill e sua família se mudaram da Grã-Bretanha para os Estados Unidos. Nos anos 60, viajaram pelo país pregando o avivamento em reuniões evangelísticas.[1] 

(Fonte: Wikipedia)

 

Irmãos iranianos são presos, vamos orar por eles?

A organização “Middle East Concern”, relata que quatro irmãos iranianos foram presos depois que seu apelo foi negado no início deste ano. Hossein Kadivar, Khalil Dehghanpour, Kamal Naamanian e Mohammed Vafadar foram presos no ano passado por “pôr em risco a segurança do Estado e promover o sionismo”.

Eles começaram suas sentenças de 5 anos no dia 2 de junho. Três de nossos irmãos têm esposas e filhos. Mohammed é solteiro. Eles serão mantidos na prisão de Evin. Cinco outros irmãos, presos no mesmo período, mas incapazes de pagar a fiança, já estão lá.

No Irã, é crime converter do islamismo ao cristianismo. Apesar disso, dezenas de milhares de iranianos estão fazendo exatamente isso, encontrando esperança e vida no evangelho de Jesus. Eles correm o risco de serem perseguidos por suas famílias e seu governo.

A acusação de ‘promover o sionismo’ é interessante, e não está claro o que exatamente isso implicaria nos casos desses quatro irmãos. Mas ouvimos relatos de irmãos do Irã que se convertem ao cristianismo, frequentemente descobrem que o ódio contra Israel é removido de seus corações e eles começam a orar pela salvação do povo judeu. Em um país que vê Israel como seu maior inimigo, isso pode se tornar outro motivo de perseguição.

A Middle East Concern relata que os amigos desses irmãos pediram oração e, com prazer, incluímos seus pedidos abaixo. Ao nos encontrarmos neste domingo, on-line ou pessoalmente, vamos manter nossos irmãos na prisão perto de nossos corações e em nossas orações.

Amigos dos cristãos convertidos pedem oração para que:

*Deus conforte as famílias de todos os cristãos na prisão, suprindo suas necessidades e cuidando das crianças em particular

*Deus conceda sua paz àqueles que recentemente começaram a cumprir suas penas de prisão e os encoraje grandemente

*O Irã respeite a liberdade de seus cidadãos de seguir a fé de sua própria escolha e interrompa a criminalização das atividades dos convertidos cristãos como se eles estivessem agindo contra a segurança nacional.

FONTE: Back to Jerusalem / De Volta a Jerusalem


Publicado em Disciplinas Espirituais, Oração

Oração, a ação fundamental diante da crise de nossos dias!

Oração é um de meus temas favoritos. É algo que tenho aprendido caminhando com outros cristãos que gostam de orar. Não é que seja algo fácil, mas com o passar do tempo tenho aprendido a ter prazer em gastar tempo orando. Jesus é nosso maior exemplo. Ele tinha uma vida de oração mesmo sendo o Filho de Deus. Só aqueles que dependem de Deus entendem a necessidade de orar, interceder, clamar a misericórdia de Deus!

Devido ao momento por que passa nossa nação, creio ser necessário entendermos que é muito melhor orar do que murmurar ou criticar nosso atual governo.
Eugene Peterson, relata muito bem nos lembrando que, a oração é a “ação fundamental”:


A ação fundamental
Oração é ato político, energia social, bem público. Ela molda a vida da nação muito mais que a legislação. O fato de não termos sido ainda dominados pela anarquia deve-se muito mais à oração do que à polícia. É um ato permanente e intrincado de patriotismo no sentido mais amplo da palavra – muito mais preciso, amoroso e protetor do que qualquer patriotismo declarado em slogans. A possibilidade de viver na sociedade e o renascimento da esperança se devem à oração e não à prosperidade empresarial ou ao florescimento das artes. O ato mais importante pra despertar toda saúde e força que há em nossa terra é a oração. É claro que este não é o único meio, pois Deus usa todas as coisas para realizar Sua vontade soberana, e “todas as coisas” inclui, com toda certeza, policiais, artistas, senadores, professores, terapeutas e operários. De toda a maneira, orar é a ação fundamental.

“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á” (Mt.7:7)

Epafras, um intercessor exemplar

“Orar por alguém é dizer “eu te amo” escondido. É amar sem ser visto. Sem plateias ou aplausos. Orar é fortalecer o outro, abraçá-lo invisivelmente.” (C.S. Lewis)

Quando falamos a alguém, “vou orar por você”, assumimos um compromisso muito importante.  Infelizmente muitas vezes essas palavras não passam de uma expressão de cuidado e desejo de agradar nosso interlocutor, não é mesmo?

O apóstolo Paulo em sua carta aos crentes de Colossos apresenta saudações de um discípulo chamado Epafras,o qual se esforça sobremaneira, continuamente, por vós nas orações, para que conserveis perfeitos e plenamente convictos de toda a vontade de Deus.”

Esforço e perseverança caracterizam a vida de um intercessor. É um esforço porque demanda tempo e a disposição espiritual de gerar algo de Deus na vida de alguém. Isto muitas vezes custa lágrimas e até mesmo uma certa agonia …o interessante é que ao preparar este texto acabei descobrindo que a palavra que Paulo usa neste neste  texto é “agonizomai” – que significa lutar, combater, e esforçar. O vocábulo faz uma alusão  à agonia , ou ao sofrimento do combatente no campo de batalha.

A perseverança é necessária se quisermos ver os frutos. Talvez  alguém possa perguntar, mas até quando devo continuar orando por essa pessoa, ou por aquela família ou mesmo nação?  Creio que a resposta seria, até que o Espírito Santo te mostre que aquilo que Ele queria gerar através de sua intercessão já ficou pronto, completo.

Epafras fazia parte de um seleto grupo de amigos do apóstolo Paulo. Podemos imaginar que ele conhecia de perto a vida deste amigo e discípulo. Epafras também é mencionado na carta a Filemon, como sendo “prisioneiro comigo”, em Cristo Jesus.

Todos nós queremos ter amigos como Epafras, não é mesmo? pessoas que perseveram em orar por nós pra que o propósito de Deus se cumpra plenamente em nossas vidas. Mas, seria muito bom se o contrário também acontecesse, ou seja, que nos tornemos como Epafras cobrindo a vida de alguém.

Seja você um Epafras na vida de seus familiares, amigos, cidade e por que não  na vida de sua nação!

Seja você alguém que se esforça e persevera até ver Cristo formado na vida de outros.

homem-orando

Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus. (Col. 4:2)

Oração em Duas Palavras pelo Avivamento

Oração em Duas Palavras pelo Avivamento

Eu encontrei uma oração incrível em duas palavras que tem o potencial de trazer um avivamento nacional.

Quando uma nação está à beira de um grande avivamento, há um nível de sucesso nas congregações e ministérios. O número de pessoas está crescendo. Mais ofertas estão chegando. Os líderes espirituais estão se tornando conhecidos, influentes e, às vezes, até mesmo ricos e famosos.

Esse nível de bênção dá à Eclésia as ferramentas que podem causar uma transformação nacional. Esta é uma etapa necessária, como uma mulher que completou a sua gravidez. No entanto, o próprio sucesso em si contém os obstáculos que podem ao mesmo tempo impedir e até interromper o crescimento do reino de Deus.

As bênçãos de Deus trazem consigo a tentação inerente de se afastar de Deus para se concentrar nas bênçãos. As pessoas podem se tornar preguiçosas, carnais, focadas apenas em entretenimento, gananciosas, orgulhosas e rebeldes. Moisés se referiu a essa síndrome assim: “Yeshurun (Jesurum) engordou e deu coices”– וישמן ישורון ויבעט – Dt 32.15.

A tentação do mundanismo é perigosa para qualquer ser humano. No entanto, existem duas ameaças que são particularmente perigosas para os líderes espirituais: a INVEJA e a COMPETIÇÃO.

Filipenses 1.15 (NAA)

É verdade que alguns proclamam Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade.

Os líderes espirituais podem tentar superar um ao outro. Em vez de trabalharem juntos para trazer um avivamento a toda a nação, começam a agir para derrotar o outro. Em vez de buscar um novo território e novas pessoas para alcançar em favor do reino de Deus, tornam-se defensivos para proteger seus próprios recursos e realizações.

Inveja e competição levam os líderes a falar um do outro negativamente; criticando os outros para obterem uma imagem melhor em comparação. Em essência, eles involuntariamente começam a se amaldiçoar sob o disfarce de “discernimento espiritual” e para “advertir o rebanho”. Isso traz divisão e destruição para o povo de Deus.

Quando Paulo escreveu isso, estava na prisão. Todo o trabalho que ele havia realizado estava sendo apropriado por outros (alguns com boas intenções e outros não). Alguns estavam ficando famosos e falando mal dele. Ele estava sozinho e sofrendo. No entanto, ao invés de olhar para o problema, ele escolheu enxergar uma bênção nisto.

Fp 1.18

Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei.

Aí está, a oração de duas palavras que pode trazer um avivamento nacional: “E DAÍ”? “QUE IMPORTA?” Se todos os líderes ignorassem sentimentos de inveja e competição entre si, e apenas se alegrassem com o fato de o trabalho de outra pessoa crescer e afetar a muitos, todo o reino de Deus daria um salto para a frente.

Esta é uma purificação necessária de coração para todo líder espiritual. Paulo lidou com isso em relação a Apolo (1 Coríntios 3). Pedro teve que lidar com isso em relação a João (Yeshua desafiou Pedro a não se comparar a João, mesmo se Yeshua pedisse para Pedro ser crucificado e João fosse viver para sempre – João 21).

Eu já vi esse desafio em quase todos os países onde a obra de Deus cresce e é abençoada – EUA, Extremo Oriente, África, Brasil, Europa e certamente aqui em Israel. Parece intransponível, mas pela graça de Deus pode ser superado. Deixemos de lado toda inveja e competição. Oremos para que o trabalho dos outros grupos seja ainda mais bem-sucedido. Que nos enxerguemos como uma família de fé, mesmo sendo totalmente diferentes um do outro.

Parece que alguém está crescendo mais do que você? E daí? Contanto que mais pessoas sejam alcançadas pelo amor de Deus, isso é ótimo! Alguém está recebendo crédito por algo que você fez? Alguém está trabalhando movido por uma ambição egoísta? E daí? Deixemos de lado todas as comparações. Quando alguém é abençoado, todos somos abençoados. Somos uma família.

Vamos fazer esta grande oração de duas palavras em favor de vitória sobre competição e inveja. “E DAÍ?” E que comece o avivamento!

Por Asher Intrater (REVIVE ISRAEL)

Como desenvolver uma vida de oração eficaz (4)

Profeta

A maneira mais substancial em que podemos fortalecer nossa vida de oração é alimentando-nos da Palavra de Deus. Isto inclui a prática de conversação ativa com Deus, quando lemos a Sua Palavra. As Escrituras nos concede o “material de conversação” para a nossa vida de oração e torna-a mais agradável.

 Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.”  (Josué 1:8)

O estudo da Bíblia deve nos levar a um diálogo com Deus. Jesus repreendeu os fariseus por examinarem as Escrituras sem usá-las para desenvolver um relacionamento real com Deus.

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim;  mas não quereis vir a mim para terdes vida!”   (Jo. 5:39,40)

Esse “vir a mim” aqui nos fala de relacionamento, diálogo.

Duas grandes categorias de verdades relacionados ao ler orando a Palavra são: (1) Escrituras que se concentram em promessas “para crer“ e (2) Escrituras que nos exortam “a obedecer.”

Temos promessas na Palavra nas quais precisamos crer. Quando dialogamos com Deus ativamente, oramos essas promessas que nos levam a crer.

Em primeiro lugar, agradecemos a Deus por uma verdade particular. Tornamos essa verdade em declarações de gratidão ou de confiança. Por exemplo, podemos orar: “obrigado por que Tu me amas, perdoas, orienta e provês tudo o que preciso.”

Segundo, pedimos a Deus que nos revele verdades específicas (cf. Efésios 1:17). Por exemplo, oramos: “Pai, mostra me mais do Teu amor, perdão, direção e provisão para minha vida.”

Nesse diálogo ativo com Deus,  oramos verdades que nos exortam a“obedecer” à Sua Palavra.

Em primeiro lugar, nós nos comprometemos a obedecer a Deus na forma específica estabelecida numa passagem que lemos.  Fazemos declarações denossa vontade de obedecer, dizendo, “em meu coração me proponho a obedecerno meu falar, no uso do tempo e do dinheiro.”

Em segundo lugar, pedimos a Deus para nos capacitar a obedecer a uma verdade específica. Pedimos a Deus que nos ajude  concedendo-nos sabedoria, motivação e poder para obedece-lo em áreas específicas. Por exemplo, você pode orar: “Pai, ajuda-me a amar-te, a refrear o meu falar, e também usar meu tempo e recursos em obediência completa a Ti.”

Porque temos um Pai amoroso podemos orar confiando que nossas orações serão atendidas, como declarou o salmista no Salmo 66:

“Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração, nem aparta de mim a sua graça.”        (Salmos 66:20)

Reflexões sobre a bondade de Deus (2)

A grandeza de Deus nos faz temer, mas Sua bondade nos anima a não ter medo dEle. Ser temente e não ter medo – eis o paradoxo da fé”. (Tozer)

Cresci ouvindo o meu pai contar histórias de sua vida. Algumas vezes me imaginava sendo parte das histórias e ficava quase sem fôlego em meio aos momentos de perigo, como o que aconteceu no dia em que ele foi atacado por índios no meio da floresta amazônica.

Com meu pai, o contador de histórias!

Hoje creio que foi a bondade de Deus que guardou a vida de meu pai, que naquela época tinha apenas 16 anos. Muitos outros na mesma situação acabaram morrendo com flechas envenenadas e certeiras!

Me considero uma mulher abençoado pelo fato de ter o meu pai ainda vivo até o presente momento. Deus é bom!!

Também creio que foi a bondade de Deus que guardou-me no ventre de minha mãe…na época ela tomava o medicamento “Talidomida” o qual causou o nascimento de muitas crianças com deformações em várias partes do mundo. Alguns anos mais tarde minha mãe ficou muito enferma ao ponto de pensarmos que ela iria morrer… eu era muito pequena mas o pouco que conhecia de Deus, foi o suficiente pra eu orar clamando a Ele que desse a ela mais anos de vida… e Ele na Sua infinita bondade ouviu minha oração!

Enfim, tudo isso me leva a concluir que nossa vida é fruto da bondade de Deus. Mesmo nas situações difíceis Ele continua sendo bom e misericordioso!

Obrigada, Eterno Deus, pela Tua infinita bondade!!

Concluo com uma declaração do salmista Davi sobre a  bondade de Deus:

“Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia.”  (Salmo 34:8)

Parábolas de Sundar Singh (1)

Quando estava no Brasil ano passado encontrei um livrinho que havia guardado por muitos anos com algumas parábolas do cristão indiano Sundar Sing.  Li um livro sobre a vida de Sundar ainda na minha infância e o testemunho de vida dele me influenciou muito.

Portanto, aqui está a primeira parábola, que é bem simples, todavia contém um significado profundo.


 

Há no Himalaya um ponto em que florescem lindas flores; mas quem ali se demora, logo adormece. Os que moram nas vizinhanças sempre aspiram o perfume de outra planta antes de passar, a fim de contrabalançar seu efeito. Quando ouvi contar isso, imaginei que as flores fossem venenosas, mas logo replicaram que não, pois quem ali adormecia geralmente conservava a vida até doze dias depois e quando morria era em consequência da fome e da sede. Há no mundo também coisas que em si não são más, mas que tiram nossa fome e sede espiritual, vindo assim a determinar nossa morte. E como a outra planta cujo perfume mantém acordados os que por ali passam, também a oração nos manterá vigilantes entre as atrações do mundo.

 

( ) O Segredo da Oração…

Hoje, estou abrindo um parenteses aqui e incluindo alguns pensamentos preciosos do Pr. Leonard Ravenhill sobre a oração.

Na proxima semana continuarei o assunto que iniciei semana passada, ou seja, como desenvolver uma vida de oração eficaz.

P1050159
Segredo da oração

 

 

 

“Tu, porém quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás ao teu Pai, que está em secreto…” (Mt. 6:6)

O Segredo da oração é orar em secreto. Quem se entrega ao pecado para de orar. Mas aquele que ora para de pecar. O fato é que somos pobres mas não humildes de espírito.

A oração é profundamente simples, e ao mesmo tempo profunda. “É uma forma de expressão tão simples que até uma criancinha pode exercitá-la.” Mas é igualmente tão sublime que ultrapassa os recursos da linguagem humana, e esgota seu vocabulário. Lançar diante de Deus uma torrente de palavras não irá necessariamente imprensioná-lo ou comovê-lo. Uma das mais significantivas orações do Velho Testamento foi feita por uma pessoa que não pronunciou palavras: “Seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma.” (1 Sm.1:13) De fato ela não tinha grandes dons de oratória.

A oração é para o crente o que o capital é para um homem de negócios.

Não se pode negar que a maior preocupaçãp da igreja de hoje são as finanças. E, no entanto, esse problema que tanto inquieta as igrejas modernas era o que menos pertubava a do Novo Testamento. Hoje damos mais ênfase à contribuição; eles a davam à oração.

Em nosso dias são poucos os que estão dispostos a ssumir a responsabilidade de orar inspirados pelo Espírito, e para esse tipo de oração não há substitutos. Temos que orar, senão pereceremos!

Leonard Ravenhill  (1907-1994)

Tenha um fim de semana repleto de bençãos!!!

Como Desenvolver Uma Vida de Oração Eficaz (1)

Prayer

Wow!!!! :-))  Estou aprendendo coisas novas sobre oração nestes dias e resolvi compartilhar com voces um pouco do que tenho aprendido sobre esse tema tão importante.

A maior parte do que voces lerão se desenvolveu a partir  de pregações do Pr. Mike Bickle, que é o fundador da Casa Internacional de Oração (IHOP) em Kansas City-MO/EUA.

Espero assim contribuir um pouquinho com o seu crescimento espiritual. Então vamos lá…

xxxxxxxxxxxx

O que é oração?   É simplesmente conversar com Deus. É ao mesmo tempo um grande privilégio, uma luta feroz, e um poderoso milagre do Espírito, o qual nos ajuda em nossa fraqueza em oração.

A oração tem diferentes expressões, tais como: a oração devocional (que inclui oração,  leitura da Palavra e comunhão com o Espírito para crescer na intimidade com Deus);  a intercessão por reavivamento e justiça, proporcionando cobertura de oração para os indivíduos, e oração pelos enfermos. Ao usar estas diferentes formas de oração, podemos encontrar Deus, fazer as obras do reino, e transformar o mundo.

Uma vida de oração consistente é essencial – só através de um estilo de vida de oração podemos receber a plenitude do que Deus tem preparado para nós.

A oração é tão necessária porque faz com que o nosso espírito seja fortalecido, libera a bênção de Deus sobre as nossas circunstâncias, e resulta em mudança na Igreja, nas nações e na sociedade. A oração muda a atmosfera espiritual de uma cidade, impactando o movimento de anjos e demônios (Daniel 10:12-21).

O objetivo da oração não deve ser apenas resultados ou meramente algo partindo de um dever religioso.  Pelo contrário, oração é  lugar de encontro com Deus, onde o nosso espírito é fortalecido e crescemos no nosso amor por Ele.

É através da oração que permanecemos em Cristo:

“Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”  (Jo.15:5)

A oração que leva à intimidade com Deus protege o nosso espírito de burnout na medida que ministramos às pessoas ao longo dos anos. Nossa conexão com Jesus é a tábua de salvação que nos permite sustentar  nosso ministério de ganhar os perdidos, curar os doentes, e fazer obras de justiça e compaixão por décadas.

A maioria de nós algum dia já fez essa pergunta, “por que Deus quer que oremos?”, não é mesmo??  Bem, Ele quer que nos conectemos com seu coração numa parceria de amor e amizade. Portanto, pedir a Deus por tudo o que precisamos é um princípio fundamental do reino. Devemos pedir especificamente, e não apenas pensar sobre a nossa necessidade cheios de frustração e desespero.

“Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; (Fp. 4:6)

Voces não têm, porque não pedem.” (Tiago 4:2)

Há bênçãos que Deus escolheu para nos dar, mas que Ele detém até que Lhe pedimos. Essa é uma forma d’Ele proteger seu relacionamento conosco.

 “Contudo, o Senhor espera o momento
    de ser bondoso com vocês;
ele ainda se levantará
    para mostrar-lhes compaixão.
Pois o Senhor é Deus de justiça.
Como são felizes todos
os que nele esperam!”  (Is. 30:18,19)
 
Semana que vem tem mais…abraços!!