No dia do Soldado, uma homenagem ao soldado mais nobre que conheço.

Hoje, 25 de agosto é lembrado no Brasil como o dia do Soldado.

Eu quero homenagear o soldado mais ilustre que conheço. Todos que me conhecem sabem que não sou filha de militar. Todavia, cresci ouvindo meu pai contar suas aventuras como “soldado da borracha” 🙂

Mas afinal, o que é um soldado da borracha?

De acordo com a Wikipédia “Soldados da Borracha foi o nome dados aos brasileiros que entre 1943 e 1945 foram alistados e transportados para a Amazônia pelo Semta, com o objetivo de extrair borracha para os Estados Unidos da América (Acordos de Washington) na II Guerra Mundial.

Ele teve uma vida cheia de aventuras e sofrimentos, mas nunca perdeu a memória e o bom humor. Mesmo com 91 anos ainda se lembra de detalhes de sua vida como soldado da borracha. Não me canso de ouvir essas historias apesar de já ter ouvido muitas vezes.

No Amazonas quase morreu quando um índio disparou uma flecha em direção ao seu coração. Sem falar nas diversas vezes que sofreu malária e outras doenças.

Sou grata a Deus pela oportunidade de ouvi-lo contando suas histórias, algumas heroicas outras nem tanto. Todavia, todas elas fazem parte do legado que ele tem deixado pra nós, os seus filhos.

Meu pai aos 18 anos de idade.

O acordo Abraão e a contagem regressiva no relógio profético de Deus

Eu estava tão envolvida lendo minhas mensagens de feliz aniversário, que quase não prestei atenção a um acontecimento histórico, certamente um dos mais importante de 2020. Algo que aconteceu no dia do meu aniversário, dia 13 desse mês.

Presidente Trump foi o mediador de um tratado de paz entre Israel e o Emirados Árabes Unidos.

De acordo com o autor judeu Ron Cantor, este é o terceiro acordo de paz entre Israel e um país árabe. O primeiro foi em 1979 com o Egito e o outro em meados dos anos 90 com a Jordânia. Não tínhamos um acordo de paz com outra nação árabe desde então. E todos os relatórios sugerem que nos próximos dias um acordo com o Bahrein será finalizado – e várias outras nações árabes se seguirão. Um dos aspectos mais surpreendentes deste acordo é que ele não teve nada a ver com um Estado palestino.

O tratado de paz deixou enfurecidos líderes iranianos, turcos e palestinos. Por esta razão alguns acreditam que haja algo bom nesse acordo.

Fiquei tocada ao ler a oração de um intercessor de Jerusalém, nestes termos “Aba, como os Emirados Árabes Unidos estão dispostos a abençoar Israel, envie o avivamento às suas fronteiras em troca.” Precisamos dizer um “Amém” bem forte pra essa oração.

Vamos acompanhar nas próximas semanas os efeitos desse acordo de paz. Pra aqueles que estão de olho no relógio escatológico, creio que esse é um momento de muita atenção e sobriedade. Que possamos erguer nossas cabeças e proclamar “Maranata!”, ora vem Senhor Jesus!

Destaque

“Adonai Roi” – O Senhor é o meu Pastor

Quando dizemos: “O Senhor é meu pastor” (Salmo 23), reconhecemos que somos Suas ovelhas. Mas apenas dizer assim não é suficiente, nossas vidas têm que refletir isso. Quando entendemos o relacionamento de um pastor com suas ovelhas, podemos entender melhor o relacionamento de Deus conosco. O problema é que muito poucos de nós têm alguma idéia do verdadeiro papel de um pastor. Quando entendermos o que um bom pastor faz por suas ovelhas – o que significa para o próprio Senhor querer ser nosso Pastor – entenderemos mais profundamente como o Senhor cuida de nós.

Você reconhece que pertence a Ele? Você está pronto para reconhecer que tudo o que você tem e tudo pelo que já trabalhou pertence a Deus? Você é seu administrador e administra as coisas para ele. Visto através de óculos mundanos, isso pode parecer uma situação embaraçosa. O mundo nos tenta a dizer: “É tudo meu; não sou escravo de ninguém; sou livre.” Mas é exatamente disso que se trata. Assim como as ovelhas pertencem a um pastor, Deus é nosso dono e devemos reconhecer isso.

Ele está no comando

No Salmo 100: 3, o salmista escreveu: “Saiba que o Senhor é Deus; ele nos fez, e não nós, seu povo e ovelhas do seu pasto.” Deus nos comprou por um preço; ele nos redimiu. Em Atos 20:28, Paulo deu a ordem aos presbíteros: “Cuidem de vós mesmos e de todo o rebanho de que o Espírito Santo vos designou superintendentes, para pastoreardes a igreja de Deus, que ele adquiriu pelo seus o próprio sangue! “

A Escritura ensina que a verdadeira perfeição vem quando damos a Deus o controle sobre tudo em nossas vidas. Tudo o que temos pertence a ele: ele está no comando. Psicólogos e psiquiatras do mundo secular querem que seus clientes confiem em sua própria força, afirmem-se e não se sujeitem a ninguém. Você diria que a autoconfiança é o caminho para a perfeição.


A Escritura ensina que a verdadeira perfeição vem quando damos a Deus o controle sobre tudo em nossas vidas.


Se não pudermos nos submeter à autoridade de Deus, nunca teremos verdadeira paz e satisfação. Tudo dependeria de nossas circunstâncias, que estão em constante mudança. Ao reconhecer que o Senhor é nosso Pastor e aceitar Sua autoridade em nossas vidas, podemos encontrar a verdadeira liberdade e realização. Com verdadeira gratidão e entusiasmo, como Davi, podemos proclamar: “O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.” Eu não tenho falta de nada e tenho tudo que preciso porque o Senhor provê todas as coisas.

Durante a Páscoa, uma das minhas canções favoritas que é cantada no seder é “Dayenu”. Nesta canção, a palavra “Dayenu” é cantada após a descrição de cada milagre que Deus realizou. Significa: “Teria sido o suficiente para nós”. Se olharmos para o Salmo 23: 1, “Dayenu” seria um acréscimo apropriado; podemos dizer sem hesitação: “Adonai Roi, o Senhor é meu Pastor, e isso basta. Dayenu.”



Adonai Roi, o Senhor é meu pastor, e isso é o suficiente. Dayenu.

“O SENHOR é o meu pastor; de nada terei falta”.

FONTE: Chosen People Ministries

Quando o fogo consome os Cedros do Líbano!

Quando o fogo consome os cedros do Líbano (Juízes 9:15)

Às 18h08, hora local, em 4 de agosto, uma explosão apocalíptica atingiu o Porto de Beirute, capital do Líbano. A explicação oficial para a causa da explosão é que o Armazém # 9 do porto (repleto de fogos de artifício chineses) de alguma forma pegou fogo e dentro de minutos o incêndio saltou para o Armazém # 12, onde 2.750 toneladas de fertilizante de nitrato de amônio estavam depositados armazenamento. Este fertilizante altamente explosivo (confiscado de um cargueiro russo abandonado seis anos antes) foi mantido “no limbo”, armazenado no porto devido à inação burocrática por parte dos juízes municipais de Beirute.

Outra possibilidade distinta é que as explosões tenham sido na verdade um terrível acidente em bunkers subterrâneos de armas e depósitos de munições administrados pelo Hezbollah. O grupo terrorista jihadista apoiado pelo Irã armazena foguetes e mísseis guiados por GPS, motores de foguete e combustível, explosivos e armamentos diversos em muitos lugares do Líbano, geralmente no coração de grandes cidades, incluindo Beirute e em casas de civis:

A explosão de uma tempestade contra a parede (Isaías 25: 4)

A onda de explosão supersônica foi sentida tão longe quanto o norte de Israel e Chipre (240 quilômetros de distância), deixando uma cratera entre 140 e 200 metros de largura. O Observatório Sismológico da Jordânia mediu uma força sismológica equivalente a um terremoto de magnitude 4,5. Especialistas da Universidade de Sheffield no Reino Unido estimam que a explosão teve um décimo da força da bomba atômica lançada sobre Hiroshima, tornando-a uma das maiores explosões não nucleares da história.

Até agora, foram 157 mortos, 80 pessoas desaparecidas e mais de 5.000 feridos. O governador de Beirute, Marwan Aboud, estima que até 300.000 pessoas ficaram desabrigadas pelas explosões, que destruíram casas a até dez quilômetros de distância. Três hospitais e 90% dos hotéis de Beirute foram destruídos. Aproximadamente 85% das reservas de grãos da cidade foram incineradas, e Beirute declarou estado de emergência de duas semanas.

Os líderes libaneses estão comparando este desastre a Hiroshima, e a mídia local cunhou uma nova palavra “Beirutshima” para descrever a gravidade dos danos.

Beirute foi devastada. De suas montanhas cobertas de neve branca (“Líbano” é a antiga palavra hebraica para “país branco”) a suas belas praias, de seu crescente centro de música e mídia árabe a suas rotas de drogas operadas pela Síria e pelo Hezbollah (heroína e haxixe) e contrabando – esta cidade costumava ser conhecida como Paris e Suíça do Oriente Médio. As ondas de choque dessa explosão estão se propagando por todo o Oriente Médio. É um momento sóbrio.

Lamentem, porque o cedro caiu (Zacarias 11: 2)!

Beirute é a décima quinta maior cidade do mundo árabe e a terceira maior no Mediterrâneo Oriental. Este desastre é um golpe poderoso, que parece mais adequado às profecias bíblicas sobre cidades libanesas como Tiro (Isaías 23; Ezequiel 26-27) ou Sidon (Mateus 11).

O Líbano conheceu conflitos terríveis e guerras civis nos últimos 150 anos. Recentemente, o Irã semeou o país com uma quinta coluna jihadista particularmente venenosa, conhecida como Hezbollah (“o exército de Alá”). Líderes xiitas islâmicos libaneses que estudaram em Najaf, o Irã adotou as estratégias do Aiatolá Khomeini pós-Revolução Iraniana de 1979. Financiado pelo Irã e treinado por um grupo central de instrutores Pasdaran, o Hezbollah foi estabelecido em 1985 para atacar Israel, trazer vitória religiosa e política para a comunidade xiita marginalizada do Líbano e ajudar a espalhar o controle jihadista iraniano em todo o Oriente Médio.

Desde 2008, o Hezbollah, para todos os efeitos, tomou conta do Líbano, controlando sua vontade política, econômica e militar. O grupo jihadista iniciou ataques terroristas contra o exército israelense, ataques de foguetes e mísseis contra civis israelenses e construiu um arsenal mortal de mais de 150.000 foguetes guiados com precisão e mísseis capazes de atingir todos os centros populacionais de Israel.

A mídia israelense regularmente traz à tona a probabilidade de uma guerra total em breve entre o Hezbollah e o Estado judeu. Com 150.000 foguetes e mísseis apontados para todas as cidades da Terra Prometida, os cidadãos israelenses precisam ser constantemente lembrados de envolver nossas mentes em torno da possibilidade de graves mortes de civis e da destruição de infraestrutura essencial nesta próxima rodada.

Os edifícios destruídos de Beirute são uma imagem preocupante de como grande parte do Líbano será se o Hezbollah começar a disparar seus foguetes e mísseis contra a população civil de Israel. Israel advertiu claramente que, em tal eventualidade, o IDF e o IAF precisarão retirar todos os lançadores de foguetes ocultos e degradar ou destruir as principais instalações de infraestrutura do Líbano.

Num só Dia

As pessoas hoje lutam contra uma superabundância de cinismo. O conceito de Deus ser soberano mesmo em tempos de desastre é sumariamente rejeitado pela maioria no mundo moderno. A sabedoria politicamente correta diz que quando um desastre atinge um país, toda a sociedade daquela terra instantaneamente se torna um excelente exemplo de justiça piedosa. Só Deus, dizem eles, é o vilão responsável pelos desastres. O conceito de julgamento ou aplicação da lei divina está totalmente falido, sob essa perspectiva.

sabendo primeiro isto: que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências  e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Porque desde que os pais dormiram todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.  Eles voluntariamente ignoram isto: que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste;  pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio. Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, tem sido entesourados para o fogo, estando reservados para o dia do juízo e destruição dos homens impios.”

(2 Pedro 3:3-7)

As Escrituras falam da velocidade das obras de YHVH chegando em um dia. Esses trabalhos podem ser positivos: “

Eu removerei a iniquidade desta terra, num só dia.” (Zc.3:9)

“Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra em um dia? Nasceria uma nação de uma vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos.” (Is. 66:8)

As obras rápidas que acontecem em um dia também podem ser altamente destrutivas:

não houve no dia da ira do SENHOR quem escapasse ou ficasse…”(Lm.2:22)

Mas ambas estas coisas virão sobre ti num momento, no mesmo dia, perda de filhos e viuvez; virão em cheio sobre ti, apesar de tuas muitas feitiçarias, apesar do grande poder de seus feitiços.” (Is. 47:9)

Como podemos então orar?

*Oremos para que uma onda de arrependimento varra o Líbano e a Síria, voltando muitos corações para o Deus de Israel e longe da maldição do povo de Israel
*Oremos pelos feridos, esmagados e quebrantados de espírito em Beirute – para que Deus seja seu socorro bem presente nas dificuldades (Salmos 46: 1-3)
*Oremos para que os líderes de Israel recebam revelação (2 Reis 6:12) sobre as estratégias do inimigo, bem como a sabedoria de Deus

Fonte: Avner Boskey (David’s tent)

Salmo 91 (NVT)

Aquele que habita no abrigo do Altíssimo
encontrará descanso à sombra do Todo-poderoso.
2
Isto eu declaro a respeito do Senhor:
ele é meu refúgio, meu lugar seguro,
ele é meu Deus e nele confio.
3
Pois ele o livrará das armadilhas da vida
e o protegerá de doenças mortais.
4
Ele o cobrirá com as suas penas
e o abrigará sob as suas asas;
a sua fidelidade é armadura e proteção.
5
Não tenha medo dos terrores da noite,
nem da flecha que voa durante o dia.
6
Não tema a praga que se aproxima na escuridão,
nem a calamidade que devasta ao meio-dia.
7
Ainda que mil caiam ao seu lado
e dez mil morram ao seu redor,
você não será atingido.
8
Basta abrir os olhos,
e verá como são castigados os perversos.

9
Se você se refugiar no Senhor,
se fizer do Altíssimo seu abrigo,
10
nenhum mal o atingirá,
nenhuma praga se aproximará de sua casa.
11
Pois ele ordenará a seus anjos
que o protejam aonde quer que você vá.
12
Eles o sustentarão com as mãos,
para que não machuque o pé em alguma pedra.
13
Você pisará leões e cobras,
esmagará leões ferozes e serpentes debaixo dos pés.

14
O Senhor diz: “Livrarei aquele que me ama,
protegerei o que confia em meu nome.
15
Quando clamar por mim, eu responderei
e estarei com ele em meio às dificuldades;
eu o resgatarei e lhe darei honra.
16
Com vida longa o recompensarei
e lhe darei minha salvação”.

Discernindo Nosso futuro (2a. Parte)

Nem tudo o que reluz profeticamente é ouro

O Deus de Israel levantou homens e mulheres para entregar Seu conselho ao povo judeu, bem como às nações deste planeta. Esses profetas falaram diretamente à nação, e algumas de suas palavras foram descritas na Bíblia. Às vezes, eles descreviam sua experiência como ‘permanecer no conselho do SENHOR’. Um homem ou mulher que teve essa experiência carregava profundamente os propósitos do coração de Deus. A realidade dessas visões, sonhos e experiências proféticas nos afeta até hoje.

Mas havia outros que profetizavam visões apenas por ‘sua própria imaginação’. Deus não os enviou, mas eles correram e compartilharam uma mensagem. Deus não havia falado com eles, mas ainda assim eles profetizaram. Estes eram falsos profetas que floresceram como espinhos num campo de trigo.

 Mas, nos profetas de Jerusalém, vejo uma coisa horrenda…Não deis ouvidos às palavras dos profetas que entre vós profetizam; ensinam-vos vaidades e falam da visão do seu coração, não da boca do Senhor. 17 Dizem continuamente aos que me desprezam: O Senhor disse: Paz tereis; e a qualquer que anda segundo o propósito do seu coração, dizem: Não virá mal sobre vós. 18 Porque quem esteve no conselho do Senhor, e viu, e ouviu a sua palavra? Quem esteve atento à sua palavra e a ouviu? 19 Eis que saiu com indignação a tempestade do Senhor, e uma tempestade penosa cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios. 20 Não se desviará a ira do Senhor até que execute e cumpra os pensamentos do seu coração; no fim dos dias, entendereis isso claramente. 21 Não mandei os profetas; todavia, eles foram correndo; não lhes falei a eles; todavia, eles profetizaram. 22 Mas, se estivessem no meu conselho, então, fariam ouvir as minhas palavras ao meu povo, e o fariam voltar do seu mau caminho e da maldade das suas ações.

(Jeremias 23:14; 16-22 )

Em nossos dias, os mesmos princípios são verdadeiros. Tudo o que brilha não é ouro, e nem tudo o que é declarado como uma palavra profética nasce do conselho de Deus (ver 1 Tessalonicenses 5: 19-22).

Mergulhar na palavra de Deus e permanecer em Sua presença – essas são as chaves bíblicas para ouvir o coração do SENHOR e discernir o que Ele tem a dizer sobre o nosso futuro. Jesus desafiou os líderes espirituais de Seus dias nesses dois pontos. Ele observou que alguns deles não entendiam nem as Escrituras nem o poder de Deus (Mateus 22:29; Marcos 12:24). Hoje, os crentes geralmente escolhem se alinhar a um desses dois campos – as Escrituras ou o poder de Deus. O Senhor quer que escolhamos as duas asas da águia.

Aqueles que aspiram a falar o que está no coração de Deus estão almejando um chamado elevado. Isso requer que você se acostume e permaneça ligado- submisso à palavra e ao coração de Deus.

O Padrão fidedigno de Deus para discernir o futuro está ligado ao entendimento sobre Israel

Agora, se congregaram muitas nações contra ti, que dizem: Seja profanada, e os nossos olhos verão seus desejos sobre Sião. 12 Mas não sabem os pensamentos do Senhor, nem entendem o seu conselho, porque as ajuntou como gavelas em uma eira. 13 Levanta-te e trilha, ó filha de Sião; porque eu farei de ferro a tua ponta e de cobre, as tuas unhas, e esmiuçarás a muitos povos, e o seu ganho será consagrado ao Senhor, e a sua fazenda, ao Senhor de toda a terra.” (Miqueias 4:11-13)

O chamado de Israel e o destino de Deus pra esse povo é uma das questões mais importante para as nações do mundo entenderem. Mesmo quando levantam a mão para atacar e dividir Jerusalém, eles não tem ideia de como o Deus de Jacó vê as coisas, e como YHVH em breve irá usar o poderoso exército de Ezequiel 37 para pulverizar nações injustas (ver Zacarias 12:6-9 et al.).

Estes são os dias de Noé

Uma canção popular cantada pelos crentes nos últimos 20 anos é “Estes são os dias de Elias”. Quem sabe seja mais oportuno agora o fato de estarmos vivendo no que Jesus chamou “Os dias de Noé.”
 
Deus falou com Noé, um homem justo – sem culpa em seu tempo- que achou graça aos olhos de do SENHOR (Genesis 6:1-18). Ele compartilhou com ele que a terra estava cheia de violência; que a maldade do homem era grande na terra, e que todas as intenções dos pensamentos eram maus continuamente.  Deus revelou a Noé que estava prestes a destruir toda a carne na qual está o sopro de vida, junto com todo o planeta. Somente Noé, sua esposa, seus filhos e esposas iriam sobreviver.

Quando Jesus falou com Seus discípulos em particular no Monte das Oliveiras (Mateus 24: 3), também revelou algo: “a vinda do Filho do Homem será como nos dias de Noé. Pois, como naqueles dias antes do dilúvio, eles estavam comendo e bebendo, casando e dando em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e eles não entenderam até que o dilúvio veio e os levou embora – assim será a vinda do Filho do homem ”(Mateus 24: 36-39; Lucas 17: 22-36).


O ponto enfático do Messias aqui é que a maioria das pessoas não entende que o julgamento está prestes a acontecer até que ele entre em ação, assim como aconteceu com a população mundial dos dias de Noé que não entendeu a extensão e a gravidade do julgamento do dilúvio de Deus até que começou a chover. (Ver Gênesis 2:6; 7:4)

A arca, iluminada por dentro aguardando o dilúvio.

Os Filhos de Issacar sabiam

Em dias de grande provação, os poderosos homens de guerra de Israel “chegaram a Hebrom com um coração perfeito para fazer Davi rei sobre todo o Israel. E todo o resto de Israel tinha o mesmo pensamento de fazer Davi rei ”(1 Crônicas 12:38). Entre eles estavam os guerreiros da tribo de Issacar, “homens que entenderam os tempos, com conhecimento do que Israel deveria fazer” (1 Crônicas 12:32). Que descrição surpreendente é dada nas Escrituras sobre esses homens! Eles discerniram os tempos – o que estava acontecendo ao seu redor – e receberam do conselho de Deus um conhecimento do que precisava ser feito.

Quando Deus alimentou Israel com maná, Ele ordenou que o chefe de cada família reunisse diariamente o suficiente para o número total de pessoas que cada homem tinha em sua tenda (Êxodo 16:16). Do mesmo modo, cada um de nós precisa se relacionar com Deus e com Sua palavra, recebendo o maná de discernimento e estratégia para nossa casa individual. Precisamos reunir isso para nós mesmos e não depender de fornecedores de maná de “grande nome”. Precisamos ser como os filhos de Issacar, nesses momentos de tremor, para que possamos ter conhecimento do que nossas famílias devem fazer.

Diante disto, como devemos orar?

*Ore pra que Deus fale conosco através de Sua Palavra e no nosso tempo com Ele, dando discernimento e estratégias em relação a esse tempo.

*Ore pra que revelação seja concedida ao povo Judeu sobre o coração de Deus e estratégias d’Ele pra esse tempo.

*Ore pelo levantar do exército profético de Ezequiel 37, entre o povo judeu.

Discernindo nosso futuro (Avner Boskey)

“Recebi por e-mail esse interessante texto do Avner Boskey. Por ser um assunto tão atual decidi traduzir e compartilhar aqui com vocês. Esta é a primeira parte do texto. Desejo-lhe uma boa leitura!”

É tempo de recesso no planeta Terra. Trens, aviões e automóveis têm uma parada brusca. O botão de pausa foi ajustado em Hollywood, shows de rock e casamentos sofisticados por enquanto. Até onde isso vai dar? A sociedade será capaz de suportar?

Os versículos das escrituras que usamos inúmeras vezes, de repente, assumem um significado mais profundo:

Não se glorie no amanhã, porque não sabes o que trará à luz (Provérbios 27: 1)
O homem é como um sopro; os seus dias são como uma sombra passageira (Salmo 144: 4)

Atendei agora, vós que dizeis: “Hoje ou amanhã iremos para a cidade tal, e passaremos um ano lá, participando de negócios e obtendo lucro”. No entanto, você não sabe como será sua vida amanhã. Sois apenas como uma neblina que aparece por um tempo e logo se dissipa. Em vez disso, você deve dizer: “Se o Senhor quiser, não só viveremos como também faremos isso ou aquilo”. (Tiago 4: 13-15)


O rápido aumento de tremores sociais (pandemias, tumultos, revoltas culturais etc.) não diminui. Como o jogo de videogame, parece que novos problemas vão continuar aparecendo. A dinâmica desse jogo: esforços repetidos para resolver um problema persistente são frustrados pelo problema que reaparece de diferentes formas. Todas as tentativas de solução resultam apenas em melhorias temporárias ou superficiais. Podemos entender esses eventos preocupantes? Como devemos conectar os pontos aqui e discernir padrões ou soluções? O que o futuro reserva para nós?

A sabedoria nos leva a discernir nosso futuro

Moisés não era apenas um escriba, um general militar e o líder nacional de Israel. Ele também foi um ótimo cantor (ver também Apocalipse 15: 3). Uma de suas últimas mensagens proféticas estava nessa canção:

Então Moisés falou na audiência de toda a assembléia de Israel as palavras desta canção –
“Pois a porção de YHVH é o Seu povo; Jacó é a atribuição de Sua herança. . .
Você negligenciou a Rocha que o gerou e esqueceu o Deus que lhe deu à luz …
Pois eles são uma nação sem conselho, e não há entendimento neles.
Queria que eles fossem sábios, que entendessem isso, que discernissem seu futuro!
Como alguém poderia perseguir mil e dois colocar dez mil em fuga. . . ”
(Deuteronômio 31:30; 32: 9, 28-30)


Dois princípios fundamentais são declarados aqui – quando Israel se lembrasse de Deus e de Sua palavra, ela seria capaz de discernir seu futuro.

Quase 700 anos depois, o rei Uzias subiu ao trono na tenra idade de dezesseis anos. Ele continuou a buscar a Deus nos dias de Zacarias, que era sábio nas visões de Deus. E enquanto ele buscou ao SENHOR, Deus o fez prosperar ”(2 Crônicas 26: 5). A prosperidade de Uzias estava diretamente ligada à sua atenção às Escrituras (ver Deuteronômio 17: 18-20) e às palavras dos Profetas.

Asafe, o menestrel profético, explica-nos:

“Porque eu tinha inveja dos arrogantes ao ver a prosperidade dos ímpios. . . [Mas] se eu tivesse dito: ‘Falarei assim’, eis que trairia a geração de seus filhos. Quando pensei em entender isso, era problemático aos meus olhos até que eu entrei no santuário de Deus. Então percebi o fim deles ”(Salmo 73: 3, 15-17). Quando Asaph meditou sobre as questões difíceis da vida na presença do Deus da eternidade, recebeu uma visão profética do futuro.

A mão de Deus está estendida sobre todo crente. Ele nos convida a segui-Lo e a receber sabedoria e discernimento profético (Provérbios 3-4). Se mergulharmos nas Escrituras e investirmos tempo com Ele, Ele nos falará, nos guiará e nos direcionará. Ele até nos mostrará o que está em Seu coração e Sua agenda para o futuro.

+++ SELAH ++