O Segredo da Oração (Por Leonard Ravenhill)

 

“Tu, porém quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás ao teu Pai, que está em secreto…” (Mt. 6:6)

O Segredo da oração é orar em secreto. Quem se entrega ao pecado para de orar. Mas aquele que ora para de pecar. O fato é que somos pobres mas não humildes de espírito.

A oração é profundamente simples, e ao mesmo tempo profunda. “É uma forma de expressão tão simples que até uma criancinha pode exercitá-la.” Mas é igualmente tão sublime que ultrapassa os recursos da linguagem humana, e esgota seu vocabulário. Lançar diante de Deus uma torrente de palavras não irá necessariamente imprensioná-lo ou comovê-lo. Uma das mais significantivas orações do Velho Testamento foi feita por uma pessoa que não pronunciou palavras: “Seus lábios se moviam, porém não se lhe ouvia voz nenhuma.” (1 Sm.1:13) De fato ela não tinha grandes dons de oratória.

A oração é para o crente o que o capital é para um homem de negócios.

Não se pode negar que a maior preocupaçãp da igreja de hoje são as finanças. E, no entanto, esse problema que tanto inquieta as igrejas modernas era o que menos pertubava a do Novo Testamento. Hoje damos mais ênfase à contribuição; eles a davam à oração.

Em nosso dias são poucos os que estão dispostos a ssumir a responsabilidade de orar inspirados pelo Espírito, e para esse tipo de oração não há substitutos. Temos que orar, senão pereceremos!

(Extraído do Livro: “Porque tarda o pleno avivamento”)

Leonard Ravenhill  (1907-1994)

Nascido em Leeds, Yorkshire, na Inglaterra, Ravenhill foi educado na Cliff College, Inglaterra, aos pés do ministério de Samuel Chadwick. Foi um estudante de História da Igreja e um perito no campo do avivamento. Suas reuniões ao longo da guerra atraiu grandes multidões na Grã-Bretanha, e como resultado, muitos convertidos devotaram-se ao ministério cristão e aos campos de missões mundiais.

Em 1939, casou-se com uma enfermeira irlandesa chamada Martha. O casal teve três filhos: Paul, David e Philip. Paul e David são ministros do Evangelho, e Philip é professor.

Em 1959, Ravenhill e sua família se mudaram da Grã-Bretanha para os Estados Unidos. Nos anos 60, viajaram pelo país pregando o avivamento em reuniões evangelísticas.[1] 

(Fonte: Wikipedia)

 

Textos Bíblicos para Proclamação: 21 versos que irão gerar Esperança em tempos de crise

Eu, porém, confiarei no Senhor; esperarei no Deus da minha salvação. O meu Deus me ouvirá. (Miquéias 7:7)

E terás confiança, porque haverá esperança; olharás ao redor de ti e repousarás seguro. (Jó 11,18)

Espera tu pelo Senhor; anima-te, e fortalece o teu coração; espera, pois, pelo Senhor. (Salmos 27:14)

Esforçai-vos, e fortaleça-se o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.” (Salmos 31:24)

Agora, pois, Senhor, que espero eu? a minha esperança está em ti. (Salmo 39:7)

Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a Ele que é o meu socorro, e o meu Deus. (Salmos 42:11)

Ó minha alma, espera silenciosa somente em Deus, porque dele vem a minha esperança. (Salmo 62:05)

Com tremendos feitos nos respondes em justiça, ó Deus, salvador nosso, esperança de todas os confins da terra, e dos mares longínquos; (Salmo 65:5)

Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.” (Sl. 119:74)

Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto, nele porei a minha esperança. O Senhor é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam; (Lamentações 3:24 e 25 )


“…mas nós, porque somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação;” (1 Tess. 5:8)

Sede vós também pacientes; fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. (Tiago 5:8)

Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas,  todavia, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. Jeová, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.   (Habacuque 3:17-19 ARC)

Oro para que seu coração seja iluminado, a fim de que compreendam a esperança concedida àqueles que ele chamou e a rica e gloriosa herança que ele deu a seu povo santo. (Efésios 1:18)

Por causa de sua graça, nos declarou justos e nos deu a esperança de que herdaremos a vida eterna. (Tito 3:7 NVT)

Pois toda casa tem um construtor, mas Deus é o construtor de todas as coisas. Por certo, Moisés foi fiel como servo na casa de Deus, e seu trabalho ilustrou verdades que seriam mais tarde reveladas.  Mas Cristo, como Filho, é responsável por toda a casa de Deus; e nós somos a casa de Deus, se nos mantivermos corajosos e firmes em nossa esperança gloriosa. (Hebreus 3:4-6 NVT)

Um pôr do sol, das montanhas do Líbano…

Hebreus 11 – um antídoto contra o desânimo e a falta de fé!

Se você precisa de uma perspectiva, renovo de fé neste dia, leia Hebreus 11 e a galeria dos grandes heróis da Fé.

Hebreus 11 nos apresenta uma galeria de homens e mulheres, que são conhecidos como heróis da Fé!   Eles eram seres humanos como nós, todavia o legado que deixaram tem atravessado séculos.    Lendo este capítulo você irá lembrar da riqueza da fé que eles nos deixaram e será fortalecido pra continuar sua jornada nesta terra. 

Em minha caminhada espiritual, tenho sido muitas vezes renovada em minha fé e inspirada a continuar, mesmo em meio às aflições e crises da vida.  Deixo aqui então o capítulo dos heróis da fé pra sua leitura e meditação 🙂

________________________________________________________________ 

Hebreus 11 Nova Versão Internacional (NVI-PT)
Exemplos de Fé

11 Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos. 2 Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho.

3 Pela fé entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de modo que aquilo se vê não foi feito do que é visível.

4 Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim. Pela fé ele foi reconhecido como justo, quando Deus aprovou as suas ofertas. Embora esteja morto, por meio da fé ainda fala.

5 Pela fé Enoque foi arrebatado, de modo que não experimentou a morte; “e já não foi encontrado, porque Deus o havia arrebatado”[a], pois antes de ser arrebatado recebeu testemunho de que tinha agradado a Deus. 6 Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam.

7 Pela fé Noé, quando avisado a respeito de coisas que ainda não se viam, movido por santo temor, construiu uma arca para salvar sua família. Por meio da fé ele condenou o mundo e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé.

8 Pela fé Abraão, quando chamado, obedeceu e dirigiu-se a um lugar que mais tarde receberia como herança, embora não soubesse para onde estava indo. 9 Pela fé peregrinou na terra prometida como se estivesse em terra estranha; viveu em tendas, bem como Isaque e Jacó, co-herdeiros da mesma promessa. 10 Pois ele esperava a cidade que tem alicerces, cujo arquiteto e edificador é Deus.

11 Pela fé Abraão — e também a própria Sara, apesar de estéril e avançada em idade — recebeu poder para gerar um filho,[b] porque considerou fiel aquele que lhe havia feito a promessa. 12 Assim, daquele homem já sem vitalidade originaram-se descendentes tão numerosos como as estrelas do céu e tão incontáveis como a areia da praia do mar.

13 Todos estes viveram pela fé, e morreram sem receber o que tinha sido prometido; viram-no de longe e de longe o saudaram, reconhecendo que eram estrangeiros e peregrinos na terra. 14 Os que assim falam mostram que estão buscando uma pátria. 15 Se estivessem pensando naquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. 16 Em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, e lhes preparou uma cidade.

17 Pela fé Abraão, quando Deus o pôs à prova, ofereceu Isaque como sacrifício. Aquele que havia recebido as promessas estava a ponto de sacrificar o seu único filho, 18 embora Deus lhe tivesse dito: “Por meio de Isaque a sua descendência[c] será considerada”[d]. 19 Abraão levou em conta que Deus pode ressuscitar os mortos e, figuradamente, recebeu Isaque de volta dentre os mortos.

20 Pela fé Isaque abençoou Jacó e Esaú com respeito ao futuro deles.

21 Pela fé Jacó, à beira da morte, abençoou cada um dos filhos de José e adorou a Deus, apoiado na extremidade do seu bordão.

22 Pela fé José, no fim da vida, fez menção do êxodo dos israelitas do Egito e deu instruções acerca dos seus próprios ossos.

23 Pela fé Moisés, recém-nascido, foi escondido durante três meses por seus pais, pois estes viram que ele não era uma criança comum, e não temeram o decreto do rei.

24 Pela fé Moisés, já adulto, recusou ser chamado filho da filha do faraó, 25 preferindo ser maltratado com o povo de Deus a desfrutar os prazeres do pecado durante algum tempo. 26 Por amor de Cristo, considerou sua desonra uma riqueza maior do que os tesouros do Egito, porque contemplava a sua recompensa. 27 Pela fé saiu do Egito, não temendo a ira do rei, e perseverou, porque via aquele que é invisível. 28 Pela fé celebrou a Páscoa e fez a aspersão do sangue, para que o destruidor não tocasse nos filhos mais velhos dos israelitas.

29 Pela fé o povo atravessou o mar Vermelho como em terra seca; mas, quando os egípcios tentaram fazê-lo, morreram afogados.

30 Pela fé caíram os muros de Jericó, depois de serem rodeados durante sete dias.

31 Pela fé a prostituta Raabe, por ter acolhido os espiões, não foi morta com os que haviam sido desobedientes[e].

32 Que mais direi? Não tenho tempo para falar de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas, 33 os quais pela fé conquistaram reinos, praticaram a justiça, alcançaram o cumprimento de promessas, fecharam a boca de leões, 34 apagaram o poder do fogo e escaparam do fio da espada; da fraqueza tiraram força, tornaram-se poderosos na batalha e puseram em fuga exércitos estrangeiros. 35 Houve mulheres que, pela ressurreição, tiveram de volta os seus mortos. Uns foram torturados e recusaram ser libertados, para poderem alcançar uma ressurreição superior; 36 outros enfrentaram zombaria e açoites; outros ainda foram acorrentados e colocados na prisão, 37 apedrejados, serrados ao meio, postos à prova[f], mortos ao fio da espada. Andaram errantes, vestidos de pele de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos e maltratados. 38 O mundo não era digno deles. Vagaram pelos desertos e montes, pelas cavernas e grutas.

39 Todos estes receberam bom testemunho por meio da fé; no entanto, nenhum deles recebeu o que havia sido prometido. 40 Deus havia planejado algo melhor para nós, para que conosco fossem eles aperfeiçoados.

Sim, eu amo a mensagem da Cruz! (1a. parte)

CruzdeCristo

A cruz de Cristo,  é um dos temas centrais de nossa fé cristã. Sem a cruz o Cristianismo é apenas mais uma religião cheia de rituais, dogmas e vãs filosofias. É claro, não estou aqui mencionando a cruz, como um objeto a ser carregado ou pendurado no pescoço. A cruz de Cristo é muito mais do que um crucifixo!

Louvo a Deus pelos pregadores que ainda hoje ousam pregar sobre esse tema.  Mesmo sabendo que para muitos a crucificação de Jesus, ainda hoje traz a memória um evento assustador!

“Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.” (I Co. 1:18)

Nos dias do apóstolo Paulo a  morte na cruz era considerado algo extremamente vergonhoso.  Mas desde o momento em que Jesus o encontrou no caminho de Damasco, ele passou a dar ênfase à obra que Cristo realizou na cruz.  E também a viver as implicações de uma vida centrada na cruz.

É do autor Bob Sorge, uma das melhores colocações que já li sobre o tema:

  • “O Salmo 91:1 aponta diretamente para a Cruz de Jesus Cristo: “Aquele que habita  no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente.” Você não pode chegar mais perto da sombra do Onipotente do que quando você está abraçando a cruz. A sombra da Cruz é o lar dos santos! A cruz é o lugar mais seguro da terra.”

Sim, a sombra da Cruz é o lugar mais seguro que existe. É aqui que somos protegidos do engano e guardados de toda decepção.

É na cruz que a verdade se transforma em graça.

É sábio aquele que canta, e não somente canta mas crê nas palavras deste hino antigo:

“Sim eu amo a mensagem da cruz

Té morrer eu a vou proclamar

Levarei eu também minha cruz

Té por uma coroa trocar”.  (Harpa Cristã – 291)


“Se a cruz não for o centro de nossa religião, a nossa religião não é a de Jesus”.   (John Stott)

Vivendo sem pressa, em 2019 :-)

Espero que você tenha chegado sem pressa em 2019.  

Alguém já diagnosticou que a pressa é o inimigo número 1 de nossa vida espiritual.    Mas, como viver sem pressa num mundo tão acelerado, tão cheio de pressões e demandas as mais variadas, no nosso dia a dia?

 Deixo aqui algumas sentenças do autor J. Smith, sobre a relevante  necessidade de uma vida desacelerada.

“Quando eliminamos a pressa, tornamo-nos presentes ou, mais especificamente, presentes no momento presente, em toda sua glória. Tornamo-nos conscientes do ambiente ao nosso redor. Vemos as cores e cheiramos as essências; ouvimos os sons mais delicados e podemos sentir o vento bater em nossa face. Em resumo, nós aparecemos e experimentamos a plenitude da vida. E isso inclui algo não menos importante, que é estar na presença de Deus.  Para viver bem como cristão, preciso estar constantemente conectado a Deus. A pressão não faz parte de uma vida bem vivida”.

Portanto, que 2019 seja um ano de alcance de sonhos, realizações de desejos e conclusão de planos; mas acima de tudo, que 2019 você possa viver de uma forma mais tranquila e desacelerada!

Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”   (Mt.6:34)

A quinta coluna e o dilema de um coração dividido

Em 1936, houve uma guerra civil na Espanha e dessa guerra surgiu a frase “a quinta coluna”. Essa foi a origem dela. Um general espanhol estava atacando uma cidade e outro general perguntou-lhe: “Qual é o seu plano para tomar essa cidade?” Ele respondeu: “Eu tenho quatro colunas contra a cidade – uma do norte, uma do sul, uma do leste, uma do oeste.” Ele fez uma pausa e depois acrescentou: “Mas é a minha quinta coluna que eu estou esperando levar a cidade para mim. “Onde está essa quinta coluna?”, Perguntou o segundo general. O primeiro general respondeu: “Minha quinta coluna está dentro da cidade”. Essa história serve pra ilustrar a nossa luta interior, em nossa jornada espiritual. E essa é a única maneira que os cristãos podem ser derrotados. Nós nem sempre somos derrotados de fora, mas se há uma quinta coluna dos inimigos de Deus em nosso coração, então isso significa derrota. O Senhor nos fala em sua palavra sobre os ídolos que permitimos ser levantados em nosso coração. Estes ídolos podem ser até mesmo pessoas e coisas que colocamos no lugar que pertence somente a Deus. “Portanto, fala com eles e dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Qualquer homem da casa de Israel que levantar os seus ídolos no seu coração, e puser o tropeço da sua maldade diante da sua face, e vier ao profeta, eu, o Senhor, vindo ele, lhe responderei conforme a multidão dos seus ídolos; (Ez. 14:4) O orgulho, amor ao mundo e a avareza são alguns dos ídolos que podem destruir nosso relacionamento com Deus e com o próximo! Portanto, os inimigos que mais precisamos odiar são aqueles que podem estar dentro de nossos próprios corações e vidas. Nós temos que entrega-los, independentemente do custo. Somente cristãos crucificados estão aptos a vencer o inimigo.
Precisamos estar em vigilância quanto ao nosso coração,  é nele que temos o governo de nossas vidas! “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida”.  (Provérbios 4:23) Que o Espírito de Deus tenha o controle total de nossos corações! E que tudo aquilo que está fragmentado dentro de nosso ser seja totalmente curado, e conduzido à inteireza e plenitude de Cristo. Que estejamos alinhados plenamente com nosso general e Rei, SENHOR JESUS CRISTO!

Reflexões sobre falsos ensinos (4)

Outro teste revelador quanto à solidez da experiencia religiosa é: Como ela afeta minha atitude em relação às sagradas escrituras? Essa nova experiência, essa nova visão da verdade, foi gerada pela própria palavra de Deus ou é resultado de algum estímulo externo, fora da Bíblia? (…) O que quer que tenha origem fora das Escrituras dever ficar sob suspeita até que venha mostrar-se de acordo com elas. Por mais alto que seja o conteúdo emocional, nenhuma experiência pode ser provada como autêntica a não ser que se encontre autoridade para ela nas Escrituras. “À lei e ao testemunho” (Isaías 8:20) deve ser sempre a prova final. A verdade é que a Bíblia não ensina que haverá uma nova luz e experiências espirituais mais avançadas nos últimos dias; ela ensina justamente o oposto. Nada em Daniel ou no Novo Testamento pode ser manipulado a fim de defender a ideia de que nós, que vivemos no final da era cristã, iremos receber luz que não foi conhecida no início. Suspeite de todo homem que alegue ser mais sábio do que os apóstolos ou mais santo do que os mártires da igreja primitiva. Dado, porém, que as Escrituras nem sempre sejam claras e que existem diferenças de interpretação entre homens igualmente sinceros, este teste irá fornecer toda a prova necessária com relação ao qualquer assunto de religião, a saber: Como isso afeta meu amor e minha apreciação pelas Escrituras? É bom lembrar que a Bíblia é o livro inspirado por Deus. A carta de amor d’Ele pra todos nós!  Quando ao ler você não entender o que está lendo, busque a ajuda de um seguidor genuíno de Cristo, que ama e também vive o que está escrito no livro sagrado.

Descobrindo nossa verdadeira Identidade

Quem dentre nós nunca fez essa pergunta, “afinal, quem sou eu?”

Do latim identĭtas, a identidade é o conjunto das características e dos traços próprios de um indivíduo ou de uma comunidade. Esses traços caracterizam o sujeito ou a colectividade perante os demais.

Precisamos parar de nos ver de acordo com nossa identidade no sentido mundano e, em vez disso, nos ver primeiramente em nossa identidade em Cristo. Mas afinal,  o que exatamente isso significa?

Deixo aqui alguns textos bíblicos que nos ajudarão a entender e reafirmar nossa real identidade:

*Somos filhos de Deus e temos o direito de chamar Deus de “Abba Avinu” – ou seja, nosso Deus Pai.

 “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.  O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”.  (Romanos 8: 15-16)    Ver também Gálatas 3: 26-29; 4: 6-7; Colossenses 1: 5, 3 : 11.

*Nós somos o templo de Deus, significando que Ele habitará dentro de nós e nunca nos deixará.

Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?  Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. (1 Co. 3:16,17)  

Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?  Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.  (1 Co.6:19,20)   (Romanos 8: 9-12;  6: 19-20; Gálatas 3:13, 4: 5).

*Somos parceiros da natureza de Deus, o que significa que temos o caráter de Cristo  Jesus. Esse é o fruto do Espírito.   Dessa maneira, ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornasse participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça.  (2 Pedro 1: 4)  Também Gálatas 5: 22-23).

*Somos cidadãos do céu e embaixadores de Cristo. Nós somos epístolas, cartas vivas!      “A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.  (Filipenses 3:20   Ver também 2 Coríntios 2: 14-3: 3, 5:20)

*Nós pertencemos a Jesus e com Ele  podemos superar todas as provas da vida.  “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Fp. 4:13)   Outros textos: 1 Coríntios 10:13; Romanos 8:26; Filipenses 2:13; Efésios 6: 10-18).

Existe um propósito para nossa vida. Vivemos para refletir Jesus.  Somos feitos à Sua imagem,

“Então disse Deus: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. (Gênesis 1:26a)                  Ver também, Romanos 8: 29-30; Efésios 2:10; Tito 2:14; Filipenses 3: 10,21; 1 Coríntios 15: 49-58).

Deus nos reconciliou consigo mesmo, perdoando nossos pecados e nos capacitando a nos identificarmos nEle.      Mas agora ele os reconciliou pelo corpo físico de Cristo, mediante a morte, para apresentá-los diante dele santos, inculpáveis e livres de qualquer acusação…”  (Colossenses 1:22)

Reflexões sobre falsos ensinos (3)

O próximo teste pra sabermos se um ensino é verdadeiro ou falso, é questionarmos se essa nova experiencia/ensino afetou ou tem afetado nossa atitude para com o Senhor Jesus Cristo.

Qualquer que seja a posição que a religião do homem conceda a Cristo, Deus Lhe deu o primeiro lugar no céu e na terra.  “Este é o meu Filho amado, em quem Me comprazo” (Mt.3:17), falou a voz de Deus do céu com respeito ao nosso Senhor Jesus.

Pedro, cheio do Espírito Santo, declarou: “Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo”(At.2:36)

Pedro falou de novo sobre Ele: Não há salvação em nenhum outro, porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os nomes pelo qual importa sejamos salvos”.  (At. 4:12)

O livro de Hebreus inteiro é dedicado a ideia da superioridade de Cristo sobre todos. Ele é mostrado como sendo superior a Moisés e a Arão, e até os anjos são chamados para prostrar-se e adorá-Lo.

O apóstolo Paulo também nos ajuda a compreender a superioridade de Cristo:

    Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;  (Col.1.15)

    Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade.  (Col.2.9)

Enfim, Jesus deve estar sempre no centro de toda verdadeira doutrina, toda prática aceitável e toda experiencia cristã genuína. Tudo o que faz dele menos do que Deus declarou que Ele é não passa de ilusão pura e simples, e deve ser rejeitado, por mais agradável ou satisfatório que seja no momento.

Cristianismo sem Cristo parece contraditório, mas ele existe como um fenômeno real em nossos dias. Muito do que está sendo feito em nome de Cristo é falso em relação a Ele, sendo concebido pela carne, incorporando métodos carnais e buscando fins carnais.  O que denuncia a falsidade é o fato de Cristo não ser o centro: Ele não é tudo em todos.

Se, por outro lado, a nova experiencia tende a tornar Cristo indispensável, se tira nossos interesses de nossos próprios sentimentos e os coloca em Cristo, estamos no caminho certo. O que quer que faça Cristo mais querido para nós seguramente vem de Deus.

 

Sobre falsos ensinos (2)

Prosseguindo esta série que comecei no início do mês, vou compartilhar o primeiro dos sete pontos que nos foi deixado pelo Tozer,  sobre o assunto.

*********************** 

Minha atitude com relação a Deus

Um teste vital para toda experiencia religiosa é como ela afeta nosso relacionamento com Deus, nosso conceito de Deus e nossa atitude com Ele.

O equilíbrio e a sanidade do universo exigem que Deus seja enaltecido em todas as coisas.

“Grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado; a Sua grandeza é insondável”(Sl. 145.3).  Deus age apenas para a sua glória e tudo o que vem Dele tem como finalidade enaltece-Lo. Qualquer doutrina, qualquer  experiencia que sirva para exaltá-Lo terá sido provavelmente inspirada por Ele. E, de modo oposto, tudo o que oculte Sua glória ou que O faça parecer menos maravilhoso certamente foi gerado pela carne ou pelo diabo.

O grande teste é este: Que influência este ensino teve (e está tendo) em minha relação com o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo? Se essa nova visão da verdade – esse novo encontro com coisas espirituais – me faz amar mais a Deus, se O exaltou a meus olhos, se purificou meu conceito de Seu ser e fez com que parecesse mais maravilhoso do que antes, posso, então, concluir que não me desviei para o caminho agradável, mas perigoso e proibido, do erro.


Creio que é importante sempre examinarmos diante de qualquer ensino, se o mesmo está nos levando a amar a Deus com todo o nosso coração, alma e força.

 “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. 38 Este é o primeiro e grande mandamento. 39 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 40 Desses dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.”                  (Mateus 22:37,38 ARC)