No dia do Soldado, uma homenagem ao soldado mais nobre que conheço.

Hoje, 25 de agosto é lembrado no Brasil como o dia do Soldado.

Eu quero homenagear o soldado mais ilustre que conheço. Todos que me conhecem sabem que não sou filha de militar. Todavia, cresci ouvindo meu pai contar suas aventuras como “soldado da borracha” 🙂

Mas afinal, o que é um soldado da borracha?

De acordo com a Wikipédia “Soldados da Borracha foi o nome dados aos brasileiros que entre 1943 e 1945 foram alistados e transportados para a Amazônia pelo Semta, com o objetivo de extrair borracha para os Estados Unidos da América (Acordos de Washington) na II Guerra Mundial.

Ele teve uma vida cheia de aventuras e sofrimentos, mas nunca perdeu a memória e o bom humor. Mesmo com 91 anos ainda se lembra de detalhes de sua vida como soldado da borracha. Não me canso de ouvir essas historias apesar de já ter ouvido muitas vezes.

No Amazonas quase morreu quando um índio disparou uma flecha em direção ao seu coração. Sem falar nas diversas vezes que sofreu malária e outras doenças.

Sou grata a Deus pela oportunidade de ouvi-lo contando suas histórias, algumas heroicas outras nem tanto. Todavia, todas elas fazem parte do legado que ele tem deixado pra nós, os seus filhos.

Meu pai aos 18 anos de idade.

Visita ao Nordeste brasileiro

 Em outubro Deus nos concedeu a oportunidade de visitar três estados do nordeste. Foi um tempo muito especial, reencontrando amigos, irmãos e familiares e também encontrando novos irmãos e amigos.

Deixo aqui algumas imagens deste tempo que foi um dos pontos altos de 2018!

Centro histórico de São Luiz, no centro da cidade
Entre duas maranhenses, mulheres de Deus!
Num dos mercados de bairro, em São Luís
Cajú e murici, no Ceará 🙂
Caminhada numa manhã de domingo, pela Praia do Futuro, em Fortaleza

Imagens do Líbano, relembrando 2006

Durante a guerra, a assistência aos cultos era bem maior que o normal…

2006 foi a última vez que estivemos no Líbano. Estivemos lá exatamente quando eclodiu uma guerra; por isso, vivemos experiências que nunca havíamos experimentado antes. Deixo aqui algumas fotos inéditas daquele período.

 

 

 

Tomando café com um casal de libaneses

Nas noites sem eletricidade, as velas eram muito úteis; um produto muito procurado nos supermercados!

 

 

 

Por do sol numa tarde de outono