JESUS, TEU AMOR SEM LIMITES POR MIM

Autor: Paul Gerhardt (1607-1676)

 

Jesus, teu amor sem limites por mim

Nenhum pensamento pode alcançar, nenhuma língua declarar:

Tece meu coração junto a Ti

E reina ali, sem rival algum.

Sou inteiramente teu e só teu:

Seja Tu minha Chama constante.

 

Um pouco sobre a vida de Paul Gerhardt

Paul Gerhardt é considerado o maior poeta de hinos em língua alemã da época do Barroco. A estrada da vida deste poeta não era nada fácil. E apesar disso, seus hinos estão cheios de palavras jubilosas.Ele nasceu no dia 12 de março de 1607 em Gräfenhainischen, nas proximidades da cidade de Wittenberg. Durante a metade de sua vida ele experimentou os horrores da Guerra dos 30 Anos (1618-48), marcada por peste, pilhagens e várias necessidades. Quando teve 10 anos de idade, durante sua época escolar em Grimma, ele perdeu o seu pai Christian Gerhardt, que era Burgomestre e Schöppenmeister [Juiz de paz], e dois anos depois, a mãe: Dorothea, filha de um pastor luterano.

 

 

Os Hinos de Paul Gerhardt

Paul Gerhardt seguiu, na sua vida, um caminho de humildade e renúncia voluntária. Não procurou glórias de poeta, mas com seus hinos queria servir a Deus. Ao todo ele criou 134 poesias em alemão e mais 14 em latim. Elas abrangem todas as áreas da vida cristã, de sorte que um hinólogo disse: Com suas criações pode-se compilar um hinário completo. Para a grande maioria delas a fonte era a própria Bíblia, principalmente o livro dos Salmos, e raras vezes outros hinos antigos em latim. Característico para muitos hinos de Paul Gerhardt é, nas últimas estrofes, a alegre certeza da ressurreição e vida eterna. O sol que dá luz e calor, anima e dá alegria, é um tema que aparece em muitos de seus hinos. Ele representa a graça de Deus.

 

 

Louvor a Deus mesmo na tristeza.
(de “O Amigo das Crianças” – Nº 39 – Ano 47 – 18-11-1984)

Paul Gerhardt viveu na Alemanha muito tempo atrás. Foi um dos mais importantes poetas de hinos da nossa Igreja. Nas suas canções ele louvava e agradecia a Deus, apesar de sua vida difícil e sofrida.

Seu pai fora estalajadeiro numa cidade da Alemanha. O pessoal do lugar gostava de se encontrar à noite na estalagem para conversar, contar as novidades do dia. Às vezes também chegavam viajantes de fora, os quais o pessoal do lugar ficava ouvindo, pois contavam coisas de outros lugares e cidades. Em algumas noites da semana, reunia-se no restaurante o coral da igreja, que ensaiava seus hinos para os cultos. Os dois filhos da família Gerhardt, que dormiam na parte de cima do hotel, ficavam ouvindo o pessoal cantar até caírem no sono. Muitas vezes cantavam junto e brincavam de coral.

Aconteceu então que viajantes vieram com a notícia de que uma doença muito grave estava invadindo vilas e cidades, matando as pessoas. Era uma peste perigosa, que já tinha acabado com cidades inteiras. Não se sabe ao certo como esta doença chegou à vila onde moravam os Gerhardt. Fato é que, de repente, o lugar foi invadido como por um animal selvagem. A peste caiu por cima dos parentes e conhecidos. Muitos tiveram que morrer. E, certo dia, também o velho hoteleiro, o pai de Paul, foi atingido pela peste, vindo a morrer. Paul tinha então dez anos. Dois anos mais tarde, também sua mãe faleceu.

Paul tinha um irmão. Os dois foram levados para um internato, uma escola na qual eles conviviam com os professores e outros alunos como numa grande família. Na escola, Paul não se esqueceu das noites em que, em casa, ficavam ouvindo o coral ensaiar. Parecia que as músicas estavam gravadas dentro dele. Aos poucos, ele começou a fazer seus próprios hinos, que cantavam em cultos e em outras apresentações. Mesmo sozinho na vida, sem família, as letras destas músicas estavam cheias de louvor e de agradecimento a Deus. Parece que suas músicas lhe davam conforto e espantavam seu sofrimento.

Mais tarde Paul começou a estudar Teologia. Ele queria ser pastor. Então veio uma época de sua vida de que não se sabe quase nada. Apenas sabe-se que foi professor. Certamente deixou os estudos por alguns anos, fazendo outras coisas para sustentar-se, pois era uma época difícil, de muitas guerras, fome e peste.

Depois de muitos anos, voltou a estudar e formou-se pastor com mais de quarenta anos. Casou-se e foi trabalhar numa comunidade em Berlim. O casal teve cinco filhos. O primeiro filho faleceu com um ano de idade. Algum tempo depois, faleceram mais três filhos, um após outro. A esposa de Paul também faleceu cedo. Restou-lhe apenas um filho, ao qual, antes de morrer, deixou como herança uma carta. Nesta carta Paul Gerhardt disse ao filho como ele deveria agir em relação a Deus e aos homens e pediu que se tornasse pastor para louvar a Deus.

Apesar de ter perdido quatro filhos e a esposa, Paul Gerhardt continuou a fazer hinos de louvor a Deus. Estes hinos que Gerhardt escreveu, existem ainda hoje. Muitos deles se encontram em nosso hinário Hinos do Povo de Deus.

 

 

Publicado em Herrnhut/Morávios, Música Cristã Alemã

Canções de Zinzendorf

Ele é reconhecido por ter iniciado um movimento missionário que ainda hoje está dando frutos. O combustível deste mover de missões foi uma vigília de oração 24/7 que durou por mais de 100 anos. Mas nem todos sabem que Zoinzendorf era também um adorador apaixonado, que junto com sua esposa compôs mais de mil canções de louvor a Deus.

Creio que depois de Martinho Lutero, Zinzendorf seja um dos nomes mais lembrados na história do cristianismo na Alemanha.

Incluo abaixo duas estrofes de uma de suas canções, que fala de um tema muito importante, o Sangue de Jesus. Provavelmente este foi um dos hinos mais cantados aqui na Alemanha nos últimos 250 anos. Particularmente, gosto quando cantam no culto essa canção, pois tem uma mensagem muito poderosa.

Jesus, o Teu sangue e Tua justiça

Jesus, o Teu sangue e Tua justiça         CECCCF3401D44BEEB8B5AE67B40BEA26_1_13_17_bp_herrnhaag_01

São minha glória, minha beleza;

Por entre mundos fulgentes, com estes me ataviarei,

E com júbilo a minha cabeça levantarei.

Corajoso, no Teu grande dia me apresentarei,

Pois ninguém me atentará acusação.

Por Teu sangue e Tua justiça estou absolvido –

Do pecado e temor, da culpa e da vergonha.

Abaixo, a canção original em alemão:

Christi Blut und Gerechtigkeit1. Christi Blut und Gerechtigkeit, das ist mein Schmuck und Ehrenkleid; damit will ich vor Gott bestehn, wenn ich zum Himmel werd eingehn.


2. Ich glaub an Jesum, welcher spricht: Wer glaubt, der kommt nicht ins Gericht. Gottlob, ich bin schon frei gemacht, und meine Schuld ist weggebracht.


3. Drum soll auch dieses Blut allein, mein Trost und meine Hoffnung sein; ich bau im Leben und im Tod allein auf Jesu Wunden rot.

4. Und würd ich durch des Herrn Verdienst auch noch so treu in seinem Dienst, gewönn den Sieg dem Bösen ab und sündigte nicht bis ins Grab:


5. so will ich, wenn ich zu Ihm komm, nicht denken mehr an gut und fromm, sondern: da kommt ein Sünder her, der gern für’s Lösgeld selig wär.


6. Wenn nun kam eine böse Lust, so dankt ich Gott, daß ich nicht mußt; ich sprach zur Lust, zum Stolz, zum Geiz: dafür hing unser Herr am Kreuz.


7. Solang ich noch hienieden bin, so ist und bleibet das mein Sinn: ich will die Gnad in Jesu Blut bezeugen mit getrostem Mut.


8. Du Ehrenkönig, Jesu Christ, des Vaters einger Sohn Du bist; erbarme Dich der ganzen Welt und segne, was sich zu Dir hält!

(Erlösungslied, Autor: Nikolaus Ludwig Graf von Zinzendorf (1700 – 1760))