SIMCHAT TORÁ: “A alegria da lei do SENHOR”

Simchat Torá é o dia feliz em que se conclui as leituras semanais ao longo do ano através dos cinco livros de Moisés. Ela começa em Israel, na noite anterior ao oitavo dia de Sucot, o último dia que, como o primeiro, deve ser observado como um dia de descanso, um “Shabat” (Levítico: 23: 34-36; 39). Fora de Israel Simchat Torá é celebrada no nono dia seguinte (que começa na noite do oitavo). Há grande alegria nas sinagogas e nas congregações messiânicas durante esta festa, com músicas, proclamações, e danças com os rolos da Torá, que foram retirados de suas “arcas”.

Para esta leitura final da Torah, são lidos os dois últimos capítulos de Deuteronômio. Em seguida, o rolo é revertido para o início do livro de Bereshit (Genesis) “No Princípio” -e com a leitura do capítulo um e os três primeiros versículos do capítulo dois de Gênesis, o ciclo começa de novo! Por fim, o Haftarah fechando carrega a história depois da morte de Moisés até o primeiro capítulo do livro de Josué. Uma nova geração de israelitas está prestes a entrar na Terra e seu líder é cobrado pelo SENHOR:

“Somente seja forte e muito corajoso! Tenha o cuidado de obedecer a toda a lei que o meu servo Moisés lhe ordenou; não se desvie dela, nem para a direita nem para a esquerda, para que você seja bem-sucedido por onde quer que andar. Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei e de meditar nelas de dia e de noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então os seus caminhos prosperarão e você será bem-sucedido. Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”. (Josué 1:7-9)


A palavra “Torá” significa uma “direção” ou “ensino” (Concordância de Young). Muitas direções divinas e ensinamentos foram liberados pelos hebreus como os “oráculos de Deus” (Romanos 3: 2), e seu amor e atenção a eles é refletida nos Salmos: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios mas tem o seu prazer na Torá de YHWH-o Senhor “(Salmo 1, 1-2); “A Torá de YHWH é perfeita, e refrigera a alma” (Salmo 13: 7); . “A boca do justo fala a sabedoria, e seus língua fala de justiça da Torá do seu Deus está em seu coração; os seus passos não vacilarão” (Salmo 37: 30-31). Só no Salmo 119, a Torá, Lei do SENHOR é mencionada pelo menos 25 vezes!

Vida ou morte: A escolha é sua!

15 “Agora ouçam! Hoje lhes dou a escolha entre a vida e a morte, entre a prosperidade e a calamidade. 16 Pois hoje ordeno que amem o Senhor, seu Deus, e guardem seus mandamentos, decretos e estatutos, andando em seus caminhos. Se o fizerem, viverão e se multiplicarão, e o Senhor, seu Deus, abençoará vocês e a terra em que estão prestes a entrar para tomar posse dela.

17 “Se, contudo, seu coração se desviar e vocês se recusarem a ouvir, se forem levados a seguir e adorar outros deuses, 18 eu os advirto hoje de que certamente serão destruídos. Não terão uma vida longa e boa na terra que estão atravessando o Jordão para ocupar.

19 “Hoje lhes dei a escolha entre a vida e a morte, entre bênçãos e maldições. Agora, chamo os céus e a terra como testemunhas da escolha que fizerem. Escolham a vida, para que vocês e seus filhos vivam! 20 Façam isso amando, obedecendo e apegando-se fielmente ao Senhor, pois ele é a sua vida! Se vocês o amarem e lhe obedecerem, ele lhes dará vida longa na terra que o Senhor jurou dar a seus antepassados Abraão, Isaque e Jacó”. (Dt. 30:15-20 NVT)

Neste texto das Escrituras podemos entender que a vida exige uma escolha. Deus desde o início instruiu o seu povo a escolher a vida e não a morte. Não podemos simplesmente nos submeter passivamente às circunstâncias com a atitude “o que vier será “. Deus deixa bem claro que cada um de nós temos que decidir entre vida e bênção, morte e maldição. Não fazer escolha é escolher, escolher errado. Portanto, escolha uma vida tendo Deus como o centro e Sua Palavra como guia em suas decisões.

A maior decisão que fiz na minha vida foi de receber Jesus Cristo, como Rei e Senhor de minha vida. Meu desejo e oração é que você também escolha a vida que está em Cristo!

O Livro de Jonas e o Yom Kippur

O profeta Jonas é lido nas sinagogas na tarde de Yom Kippur. Talvez a razão mais importante seja que o livro aponta especificamente para o amor de Deus pelas Nações, e para a verdade de que Sua mensagem de arrependimento pelos pecados, expiação e perdão se estende não somente a Israel, mas a todos os filhos de Adão.

Desde o início, uma parte do chamado especial de Israel foi que através dele surgiria uma “Luz para as nações”, e nela “todas as famílias do mundo seriam abençoadas”. O Deus de Israel é também o Deus criador de todas as nações! E é propósito d’Ele que todos os povos alcance a redenção através de Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!

Lendo o profeta podemos entender o quão amoroso e compassivo é Deus. Mesmo uma nação pecaminosa e cheia de maldade, pode ser alcançada pelo seu amor e misericórdia.

Assim como nos dias de Jonas, é propósito do Deus de Israel hoje, compartilhar as boas novas da provisão de Deus através de seu Filho, Jesus Cristo, em todos os cantos da terra.

A Oração de Jonas

Então, de dentro do peixe, Jonas orou ao Senhor, seu Deus, e disse:

Em minha angústia, clamei ao Senhor,
e ele me respondeu.
Gritei da terra dos mortos,
e tu me ouviste.
Nas profundezas do oceano me lançaste,
e afundei até o coração do mar.
As águas me envolveram;
fui encoberto por tuas tempestuosas ondas.
Então eu disse: ‘Tu me expulsaste de tua presença
e, no entanto, olharei de novo para teu santo templo’.

“Afundei debaixo das ondas,
e as águas se fecharam sobre mim;
algas marinhas se enrolaram em minha cabeça.
Afundei até os alicerces dos montes;
fiquei preso na terra,
cujas portas se fecharam para sempre.
Mas tu, ó Senhor, meu Deus,
me resgataste da morte!
Quando minha vida se esvaía,
me lembrei do Senhor,
e minha oração subiu a ti
em teu santo templo.
Os que adoram falsos deuses
dão as costas para as misericórdias de Deus.
Eu, porém, oferecerei sacrifícios a ti com cânticos de gratidão
e cumprirei todos os meus votos,
pois somente do Senhor vem o livramento”.

1Então o Senhor ordenou que o peixe vomitasse Jonas na praia. (Bíblia Sagrada – NVT)

“Adonai Roi” – O Senhor é o meu Pastor

Quando dizemos: “O Senhor é meu pastor” (Salmo 23), reconhecemos que somos Suas ovelhas. Mas apenas dizer assim não é suficiente, nossas vidas têm que refletir isso. Quando entendemos o relacionamento de um pastor com suas ovelhas, podemos entender melhor o relacionamento de Deus conosco. O problema é que muito poucos de nós têm alguma idéia do verdadeiro papel de um pastor. Quando entendermos o que um bom pastor faz por suas ovelhas – o que significa para o próprio Senhor querer ser nosso Pastor – entenderemos mais profundamente como o Senhor cuida de nós.

Você reconhece que pertence a Ele? Você está pronto para reconhecer que tudo o que você tem e tudo pelo que já trabalhou pertence a Deus? Você é seu administrador e administra as coisas para ele. Visto através de óculos mundanos, isso pode parecer uma situação embaraçosa. O mundo nos tenta a dizer: “É tudo meu; não sou escravo de ninguém; sou livre.” Mas é exatamente disso que se trata. Assim como as ovelhas pertencem a um pastor, Deus é nosso dono e devemos reconhecer isso.

Ele está no comando

No Salmo 100: 3, o salmista escreveu: “Saiba que o Senhor é Deus; ele nos fez, e não nós, seu povo e ovelhas do seu pasto.” Deus nos comprou por um preço; ele nos redimiu. Em Atos 20:28, Paulo deu a ordem aos presbíteros: “Cuidem de vós mesmos e de todo o rebanho de que o Espírito Santo vos designou superintendentes, para pastoreardes a igreja de Deus, que ele adquiriu pelo seus o próprio sangue! “

A Escritura ensina que a verdadeira perfeição vem quando damos a Deus o controle sobre tudo em nossas vidas. Tudo o que temos pertence a ele: ele está no comando. Psicólogos e psiquiatras do mundo secular querem que seus clientes confiem em sua própria força, afirmem-se e não se sujeitem a ninguém. Você diria que a autoconfiança é o caminho para a perfeição.


A Escritura ensina que a verdadeira perfeição vem quando damos a Deus o controle sobre tudo em nossas vidas.


Se não pudermos nos submeter à autoridade de Deus, nunca teremos verdadeira paz e satisfação. Tudo dependeria de nossas circunstâncias, que estão em constante mudança. Ao reconhecer que o Senhor é nosso Pastor e aceitar Sua autoridade em nossas vidas, podemos encontrar a verdadeira liberdade e realização. Com verdadeira gratidão e entusiasmo, como Davi, podemos proclamar: “O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.” Eu não tenho falta de nada e tenho tudo que preciso porque o Senhor provê todas as coisas.

Durante a Páscoa, uma das minhas canções favoritas que é cantada no seder é “Dayenu”. Nesta canção, a palavra “Dayenu” é cantada após a descrição de cada milagre que Deus realizou. Significa: “Teria sido o suficiente para nós”. Se olharmos para o Salmo 23: 1, “Dayenu” seria um acréscimo apropriado; podemos dizer sem hesitação: “Adonai Roi, o Senhor é meu Pastor, e isso basta. Dayenu.”



Adonai Roi, o Senhor é meu pastor, e isso é o suficiente. Dayenu.

“O SENHOR é o meu pastor; de nada terei falta”.

FONTE: Chosen People Ministries

Salmo 91 (NVT)

Aquele que habita no abrigo do Altíssimo
encontrará descanso à sombra do Todo-poderoso.
2
Isto eu declaro a respeito do Senhor:
ele é meu refúgio, meu lugar seguro,
ele é meu Deus e nele confio.
3
Pois ele o livrará das armadilhas da vida
e o protegerá de doenças mortais.
4
Ele o cobrirá com as suas penas
e o abrigará sob as suas asas;
a sua fidelidade é armadura e proteção.
5
Não tenha medo dos terrores da noite,
nem da flecha que voa durante o dia.
6
Não tema a praga que se aproxima na escuridão,
nem a calamidade que devasta ao meio-dia.
7
Ainda que mil caiam ao seu lado
e dez mil morram ao seu redor,
você não será atingido.
8
Basta abrir os olhos,
e verá como são castigados os perversos.

9
Se você se refugiar no Senhor,
se fizer do Altíssimo seu abrigo,
10
nenhum mal o atingirá,
nenhuma praga se aproximará de sua casa.
11
Pois ele ordenará a seus anjos
que o protejam aonde quer que você vá.
12
Eles o sustentarão com as mãos,
para que não machuque o pé em alguma pedra.
13
Você pisará leões e cobras,
esmagará leões ferozes e serpentes debaixo dos pés.

14
O Senhor diz: “Livrarei aquele que me ama,
protegerei o que confia em meu nome.
15
Quando clamar por mim, eu responderei
e estarei com ele em meio às dificuldades;
eu o resgatarei e lhe darei honra.
16
Com vida longa o recompensarei
e lhe darei minha salvação”.

Discernindo Nosso futuro (2a. Parte)

Nem tudo o que reluz profeticamente é ouro

O Deus de Israel levantou homens e mulheres para entregar Seu conselho ao povo judeu, bem como às nações deste planeta. Esses profetas falaram diretamente à nação, e algumas de suas palavras foram descritas na Bíblia. Às vezes, eles descreviam sua experiência como ‘permanecer no conselho do SENHOR’. Um homem ou mulher que teve essa experiência carregava profundamente os propósitos do coração de Deus. A realidade dessas visões, sonhos e experiências proféticas nos afeta até hoje.

Mas havia outros que profetizavam visões apenas por ‘sua própria imaginação’. Deus não os enviou, mas eles correram e compartilharam uma mensagem. Deus não havia falado com eles, mas ainda assim eles profetizaram. Estes eram falsos profetas que floresceram como espinhos num campo de trigo.

 Mas, nos profetas de Jerusalém, vejo uma coisa horrenda…Não deis ouvidos às palavras dos profetas que entre vós profetizam; ensinam-vos vaidades e falam da visão do seu coração, não da boca do Senhor. 17 Dizem continuamente aos que me desprezam: O Senhor disse: Paz tereis; e a qualquer que anda segundo o propósito do seu coração, dizem: Não virá mal sobre vós. 18 Porque quem esteve no conselho do Senhor, e viu, e ouviu a sua palavra? Quem esteve atento à sua palavra e a ouviu? 19 Eis que saiu com indignação a tempestade do Senhor, e uma tempestade penosa cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios. 20 Não se desviará a ira do Senhor até que execute e cumpra os pensamentos do seu coração; no fim dos dias, entendereis isso claramente. 21 Não mandei os profetas; todavia, eles foram correndo; não lhes falei a eles; todavia, eles profetizaram. 22 Mas, se estivessem no meu conselho, então, fariam ouvir as minhas palavras ao meu povo, e o fariam voltar do seu mau caminho e da maldade das suas ações.

(Jeremias 23:14; 16-22 )

Em nossos dias, os mesmos princípios são verdadeiros. Tudo o que brilha não é ouro, e nem tudo o que é declarado como uma palavra profética nasce do conselho de Deus (ver 1 Tessalonicenses 5: 19-22).

Mergulhar na palavra de Deus e permanecer em Sua presença – essas são as chaves bíblicas para ouvir o coração do SENHOR e discernir o que Ele tem a dizer sobre o nosso futuro. Jesus desafiou os líderes espirituais de Seus dias nesses dois pontos. Ele observou que alguns deles não entendiam nem as Escrituras nem o poder de Deus (Mateus 22:29; Marcos 12:24). Hoje, os crentes geralmente escolhem se alinhar a um desses dois campos – as Escrituras ou o poder de Deus. O Senhor quer que escolhamos as duas asas da águia.

Aqueles que aspiram a falar o que está no coração de Deus estão almejando um chamado elevado. Isso requer que você se acostume e permaneça ligado- submisso à palavra e ao coração de Deus.

O Padrão fidedigno de Deus para discernir o futuro está ligado ao entendimento sobre Israel

Agora, se congregaram muitas nações contra ti, que dizem: Seja profanada, e os nossos olhos verão seus desejos sobre Sião. 12 Mas não sabem os pensamentos do Senhor, nem entendem o seu conselho, porque as ajuntou como gavelas em uma eira. 13 Levanta-te e trilha, ó filha de Sião; porque eu farei de ferro a tua ponta e de cobre, as tuas unhas, e esmiuçarás a muitos povos, e o seu ganho será consagrado ao Senhor, e a sua fazenda, ao Senhor de toda a terra.” (Miqueias 4:11-13)

O chamado de Israel e o destino de Deus pra esse povo é uma das questões mais importante para as nações do mundo entenderem. Mesmo quando levantam a mão para atacar e dividir Jerusalém, eles não tem ideia de como o Deus de Jacó vê as coisas, e como YHVH em breve irá usar o poderoso exército de Ezequiel 37 para pulverizar nações injustas (ver Zacarias 12:6-9 et al.).

Estes são os dias de Noé

Uma canção popular cantada pelos crentes nos últimos 20 anos é “Estes são os dias de Elias”. Quem sabe seja mais oportuno agora o fato de estarmos vivendo no que Jesus chamou “Os dias de Noé.”
 
Deus falou com Noé, um homem justo – sem culpa em seu tempo- que achou graça aos olhos de do SENHOR (Genesis 6:1-18). Ele compartilhou com ele que a terra estava cheia de violência; que a maldade do homem era grande na terra, e que todas as intenções dos pensamentos eram maus continuamente.  Deus revelou a Noé que estava prestes a destruir toda a carne na qual está o sopro de vida, junto com todo o planeta. Somente Noé, sua esposa, seus filhos e esposas iriam sobreviver.

Quando Jesus falou com Seus discípulos em particular no Monte das Oliveiras (Mateus 24: 3), também revelou algo: “a vinda do Filho do Homem será como nos dias de Noé. Pois, como naqueles dias antes do dilúvio, eles estavam comendo e bebendo, casando e dando em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e eles não entenderam até que o dilúvio veio e os levou embora – assim será a vinda do Filho do homem ”(Mateus 24: 36-39; Lucas 17: 22-36).


O ponto enfático do Messias aqui é que a maioria das pessoas não entende que o julgamento está prestes a acontecer até que ele entre em ação, assim como aconteceu com a população mundial dos dias de Noé que não entendeu a extensão e a gravidade do julgamento do dilúvio de Deus até que começou a chover. (Ver Gênesis 2:6; 7:4)

A arca, iluminada por dentro aguardando o dilúvio.

Os Filhos de Issacar sabiam

Em dias de grande provação, os poderosos homens de guerra de Israel “chegaram a Hebrom com um coração perfeito para fazer Davi rei sobre todo o Israel. E todo o resto de Israel tinha o mesmo pensamento de fazer Davi rei ”(1 Crônicas 12:38). Entre eles estavam os guerreiros da tribo de Issacar, “homens que entenderam os tempos, com conhecimento do que Israel deveria fazer” (1 Crônicas 12:32). Que descrição surpreendente é dada nas Escrituras sobre esses homens! Eles discerniram os tempos – o que estava acontecendo ao seu redor – e receberam do conselho de Deus um conhecimento do que precisava ser feito.

Quando Deus alimentou Israel com maná, Ele ordenou que o chefe de cada família reunisse diariamente o suficiente para o número total de pessoas que cada homem tinha em sua tenda (Êxodo 16:16). Do mesmo modo, cada um de nós precisa se relacionar com Deus e com Sua palavra, recebendo o maná de discernimento e estratégia para nossa casa individual. Precisamos reunir isso para nós mesmos e não depender de fornecedores de maná de “grande nome”. Precisamos ser como os filhos de Issacar, nesses momentos de tremor, para que possamos ter conhecimento do que nossas famílias devem fazer.

Diante disto, como devemos orar?

*Ore pra que Deus fale conosco através de Sua Palavra e no nosso tempo com Ele, dando discernimento e estratégias em relação a esse tempo.

*Ore pra que revelação seja concedida ao povo Judeu sobre o coração de Deus e estratégias d’Ele pra esse tempo.

*Ore pelo levantar do exército profético de Ezequiel 37, entre o povo judeu.

Discernindo nosso futuro (Avner Boskey)

“Recebi por e-mail esse interessante texto do Avner Boskey. Por ser um assunto tão atual decidi traduzir e compartilhar aqui com vocês. Esta é a primeira parte do texto. Desejo-lhe uma boa leitura!”

É tempo de recesso no planeta Terra. Trens, aviões e automóveis têm uma parada brusca. O botão de pausa foi ajustado em Hollywood, shows de rock e casamentos sofisticados por enquanto. Até onde isso vai dar? A sociedade será capaz de suportar?

Os versículos das escrituras que usamos inúmeras vezes, de repente, assumem um significado mais profundo:

Não se glorie no amanhã, porque não sabes o que trará à luz (Provérbios 27: 1)
O homem é como um sopro; os seus dias são como uma sombra passageira (Salmo 144: 4)

Atendei agora, vós que dizeis: “Hoje ou amanhã iremos para a cidade tal, e passaremos um ano lá, participando de negócios e obtendo lucro”. No entanto, você não sabe como será sua vida amanhã. Sois apenas como uma neblina que aparece por um tempo e logo se dissipa. Em vez disso, você deve dizer: “Se o Senhor quiser, não só viveremos como também faremos isso ou aquilo”. (Tiago 4: 13-15)


O rápido aumento de tremores sociais (pandemias, tumultos, revoltas culturais etc.) não diminui. Como o jogo de videogame, parece que novos problemas vão continuar aparecendo. A dinâmica desse jogo: esforços repetidos para resolver um problema persistente são frustrados pelo problema que reaparece de diferentes formas. Todas as tentativas de solução resultam apenas em melhorias temporárias ou superficiais. Podemos entender esses eventos preocupantes? Como devemos conectar os pontos aqui e discernir padrões ou soluções? O que o futuro reserva para nós?

A sabedoria nos leva a discernir nosso futuro

Moisés não era apenas um escriba, um general militar e o líder nacional de Israel. Ele também foi um ótimo cantor (ver também Apocalipse 15: 3). Uma de suas últimas mensagens proféticas estava nessa canção:

Então Moisés falou na audiência de toda a assembléia de Israel as palavras desta canção –
“Pois a porção de YHVH é o Seu povo; Jacó é a atribuição de Sua herança. . .
Você negligenciou a Rocha que o gerou e esqueceu o Deus que lhe deu à luz …
Pois eles são uma nação sem conselho, e não há entendimento neles.
Queria que eles fossem sábios, que entendessem isso, que discernissem seu futuro!
Como alguém poderia perseguir mil e dois colocar dez mil em fuga. . . ”
(Deuteronômio 31:30; 32: 9, 28-30)


Dois princípios fundamentais são declarados aqui – quando Israel se lembrasse de Deus e de Sua palavra, ela seria capaz de discernir seu futuro.

Quase 700 anos depois, o rei Uzias subiu ao trono na tenra idade de dezesseis anos. Ele continuou a buscar a Deus nos dias de Zacarias, que era sábio nas visões de Deus. E enquanto ele buscou ao SENHOR, Deus o fez prosperar ”(2 Crônicas 26: 5). A prosperidade de Uzias estava diretamente ligada à sua atenção às Escrituras (ver Deuteronômio 17: 18-20) e às palavras dos Profetas.

Asafe, o menestrel profético, explica-nos:

“Porque eu tinha inveja dos arrogantes ao ver a prosperidade dos ímpios. . . [Mas] se eu tivesse dito: ‘Falarei assim’, eis que trairia a geração de seus filhos. Quando pensei em entender isso, era problemático aos meus olhos até que eu entrei no santuário de Deus. Então percebi o fim deles ”(Salmo 73: 3, 15-17). Quando Asaph meditou sobre as questões difíceis da vida na presença do Deus da eternidade, recebeu uma visão profética do futuro.

A mão de Deus está estendida sobre todo crente. Ele nos convida a segui-Lo e a receber sabedoria e discernimento profético (Provérbios 3-4). Se mergulharmos nas Escrituras e investirmos tempo com Ele, Ele nos falará, nos guiará e nos direcionará. Ele até nos mostrará o que está em Seu coração e Sua agenda para o futuro.

+++ SELAH ++

Cristãos do Myanmar recebem sua primeira Bíblia depois de 54 anos de espera…

A tribo Sqaw Karen na floresta de Myanmar (antiga Birmânia) recebeu a Bíblia no idioma deles. O pastor Samuel relatou que a igreja dele já estava orando há 21 anos pelas Escrituras no idioma deles. Essa tribo guerreia com o governo ditador há mais de 70 anos. É a guerra mais longa do mundo. Muitos inocentes já foram mortos debaixo do regime opressivo do governo local. Agora esse povo recebe as Escrituras na esperança de que Deus transforme o pranto deles em festa. Uma membro da igreja chorou ao receber a Bíblia e disse que orou a vida toda por esse momento. Ela tinha 55 anos e faleceu poucos dias depois de ganhar a Bíblia. O irmão Kar que foi vítima de um ataque terrorista onde ele perdeu a esposa e seus 9 filhos relatou da sua alegria em receber a Bíblia na sua língua materna. Em lágrimas ele disse que começou a orar por isso em 1966 e depois de 54 anos Deus respondeu seu clamor. Ore pelo povo Karen para que Deus esteja os protegendo e que as Escrituras seja um divisor de águas na vida desse povo.

João 3:16 na língua do povo Karen

O Poema de Deus

(Tempo de Leitura: 2 minutos)

Há uma bela palavra em grego que é usada apenas DUAS vezes em todas as Escrituras do Novo Testamento. É a palavra poema, da qual derivamos a palavra correlata em português “poema”. Pode ser traduzido como “artesanato, arte, artesanato, criação, criatividade …”

É algo próximo ao conceito no hebraico de מְלֶאכֶתמַחֲשָׁבֶת, m’lechetmakhshevet, que significa “obra bem pensada ou planejada” – referindo-se ao artesanato do grande artista Bezalel na construção dos ornamentos do Tabernáculo (Êxodo 35.33; cf. Efésios 2.21; 2 Reis 16.10).

Beleza estonteante

O primeiro uso de poema se refere à criação física.

Romanos 1.20 – Os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas…

Neste verso “as coisas que foram criadas” são poema. A criatividade do criador é vista em sua criação. O coração de qualquer artista é visto em sua obra de arte. A beleza estonteante da criação natural é o poema de Deus. É a sua canção.

A Obra Genial de Deus

O segundo uso da poema refere-se ao trabalho genial de Deus ao nos transformar de pecadores rebeldes e devassos em vasos de graça e glória. Através da criação, Deus mostra seu poder divino. Através do trabalho da cruz, ele mostra seu espantoso amor. Somos a arte máxima da engenhosidade de Deus.

Efésios 2.10 – Pois somos feitura [“poema” – obra-prima] dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou…

Se nos submetermos à obra de Deus em nossas vidas, ele nos transformará em uma bela obra de arte. Como a criação física era “boa” e a criação do homem era “muito boa”, assim a nova criação de Deus em nossos corações será “excelente”. Na verdade, será incrível.

Nós juntos seremos mais bonitos que as vestes sacerdotais do tabernáculo, e mais gloriosos que um arco-íris brilhante. Ao seguirmos a liderança do Espírito Santo, nos tornaremos a canção de Deus, seu “poema”.

Nós somos a imagem que Deus está pintando.

AUTOR: Asher Intrater

Beleza estonteante – Edmundsklamm, CZ (Foto: Mari Kern)
Publicado em Escrituras Sagradas, Guerra espiritual

Escudos do Arsenal de Deus

Que estamos envolvidos numa guerra espiritual não é segredo pra ninguém; a questão é saber se estamos devidamente preparados pra essa batalha.  É na palavra de Deus que encontramos as armas que precisamos pra enfrentarmos a luta. Junto com as armas encontramos escudos, que são muito importantes pois nos dão proteção.

Nós colocamos os escudos quando declaramos, proclamamos com nossos lábios, essas verdades.

Compartilho abaixo alguns escudos que fazem parte deste poderoso arsenal de Deus:

Salmo 5.12
Pois tu, Senhor, abençoas o justo; tu o circundas do teu favor como de um escudo.

Salmo 16.8
Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; porquanto ele está à minha mão direita, não serei abalado.

Salmo 17.8
Guarda-me como a menina do olho; esconde-me, à sombra das tuas asas,

Salmo 18.2
O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refúgio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

Salmo 18.30
Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito; a promessa do Senhor é provada; ele é um escudo para todos os que nele confiam.

Salmo 18.35
Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me sustém, e a tua clemência me engrandece.

Salmo 28.7
O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração, e fui socorrido; pelo que o meu coração salta de prazer, e com o meu cântico o louvarei.

Salmo 35.1-3
Contende, Senhor, com aqueles que contendem comigo; combate contra os que me combatem.
Pega do escudo e do pavês, e levanta-te em meu socorro.
Tira da lança e do dardo contra os que me perseguem. Dize ã minha alma: Eu sou a tua salvação.

Salmo 61.3-4
Pois tu és o meu refúgio, uma torre forte contra o inimigo.
Deixa-me habitar no teu tabernáculo para sempre; dá que me abrigue no esconderijo das tuas asas.

Salmo 64.2
Esconde-me do secreto conselho dos maus, e do ajuntamento dos que praticam a iniqui
dade.

Salmos 91     João Ferreira de Almeida Atualizada (AA)

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, ã sombra do Todo-Poderoso descansará.

2 Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.

3 Porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa.

4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel.

5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia,

6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.

7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil ã tua direita; mas tu não serás atingido.

8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.

9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação,

10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará ã tua tenda.

11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.

12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.

13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.

14 Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome.

15 Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei.

16 Com longura de dias fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.”

Shields