A história foi feita no domingo, quando um apaixonado pastor pentecostal jurou ser o novo presidente do Malawi.

“Nunca vi nada parecido”, disse Mike (nome fictício)), durante um podcast do BTJ ontem. “Geralmente, depois de uma eleição, temos violência”, mas não desta vez. Mike é um missionário e vive no Malawi há quase vinte anos. Ele disse que os trabalhadores de sua base de missões, que fica a sete horas da capital do Malawi, comemoraram até altas horas da noite com as notícias do novo presidente.

O Presidente Lazarus Chakwera tem um histórico único e inspirador. Ele nasceu no Malawi quando ainda estava sob o domínio colonial britânico. Sua mãe deu à luz dois meninos que morreram na infância; portanto, quando Lázaro nasceu, eles deram a ele um nome bíblico que prometia a esperança de ressuscitar dentre os mortos se ele morresse na infância.

Lázaro era um comunicador apaixonado e tinha um forte desejo de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo desde tenra idade. Em 1983, ele se tornou professor na Escola de Teologia Assembléias de Deus. Em 1996, ele foi designado para ser o princípio da escola. Foi co-diretor e conferencista do Seminário Teológico de Todas as Nações.

Lázaro presidiu todas as Assembléias de Deus do Malawi desde 1989, que o manteve até 2013.

O Malawi é classificado como um dos países mais pobres do mundo. Depois de todas as grandes eleições ocorridas desde a independência, é costume que a violência se espalhe pelas ruas, mas não desta vez. Nenhuma violência foi relatada desde que Lázaro venceu em um deslizamento de terra, com quase 59% dos votos.

“Como você sabe, muitas forças das trevas trabalharam para impedir esta eleição, mas falharam, porque nenhuma força pode impedir a mudança que Deus decretou para nós”, disse Lázaro durante seu discurso. Uma multidão aplaudindo podia ser ouvida gritando “aleluia”, de tempos em tempos durante o discurso, como se estivessem em um culto na igreja.

“Eu não sou presidente de uma facção, sou presidente de todos no país”, disse ele durante uma entrevista à BBC.

O pregador pentecostal e ex-professor de teologia disse que seu papel seria unir e servir os malauianos. “Quero fornecer uma liderança que faça todos prosperarem, que lide decisivamente com a corrupção e o roubo de fundos públicos e uma liderança que siga o estado de direito”.

“De que serve a liberdade da opressão se você e eu somos escravos da fome? Ou liberdade do colonialismo se você é escravo do tribalismo? ”, Ele disse durante seu discurso presidencial. “Chegou a hora de irmos além do sonho, chegou a hora de acordarmos, ressuscitarmos do sono e tornarmos nossos sonhos realidade … Com sua ajuda, restauraremos a fé em ter um governo que sirva; não um governo que governa, um governo que inspira, não um governo que enfurece, um governo que escuta, não um governo que grita, mas um governo que luta por você e não contra você. ”

Um pregador do evangelho nunca teve a oportunidade de servir uma nação como essa agora. Encorajamos a todos os intercessores a lembrar desta nação em seu tempo de oração nesta semana.

Que Deus abençoe o Malawi. Que Deus abençoe a Africa!

FONTE: BTJ Ministries