Colinas de Golã (1)

As Colinas de Golã é uma região alta subindo acima e nordeste do Mar da Galiléia. Nos tempos antigos, era conhecido como Basã. Foi aqui que a jovem segunda geração de israelitas saindo do Egito foram confrontados com o rei de Basã, Ogue, que foi o último de um remanescente de gigantes conhecidos como Refains. Apesar de um ser físico, Ogue foi provavelmente o hospedeiro humano de um grande poder espiritual da escuridão que tinha desde a antiguidade mantido toda a região sob seu domínio. (Refains estão em outros lugares associados com habitantes do mundo dos mortos (Isaías 14: 9; Prov 21:16). Hoje é a palavra hebraica moderna para fantasmas.

Em Deuteronômio 3: 2, o Senhor é relembrado como tendo dito a Moisés: “não tenha medo dele, porque eu o entreguei a ele e todo o seu povo e a sua terra em sua mão.” (grifo nosso). Após a batalha que se seguiu, em que Moisés devidamente reconhece que “YHVH nosso Deus nos entregou Ogue, rei de Basã em nossas mãos”, a área foi legada como herança à meia tribo de Menashe (Manassés – Dt. 3:13.). O grande poder de YHVH sobre a força representada por Ogue se tornaria proverbial em Israel (Salmo 135: 11; 136: 20). A terra tirada dele permaneceu sob soberania de Israel através da monarquia (I Reis 4:19); e depois do cativeiro na Babilônia, os israelitas voltaram ainda vê-lo como parte da herança dada aos seus antepassados pelo Senhor: “Tu lhes deste reinos e nações…e a terra de Ogue, rei de Basã.” (Neemias 9:22)

Cerca de 2.400 anos mais tarde, entre os dias 9-10 de junho de 1967, um Israel restaurado novamente conquista Basã (agora conhecido como Colinas de Golan), desta vez tomando-o da nação da Síria, que, por 18 anos, tinha usado este ponto estratégico para bombardearem os assentamentos civis do novo estado. Em 1973, a Síria lançou um ataque surpresa para retomar as colinas, mas não tiveram sucesso. Em 14 de dezembro de 1981, o Parlamento israelense votou para aplicar a lei israelense, jurisdição e administração para as Colinas de Golã-uma vez que tem sido tratada como parte do território israelense. Síria nunca reconheceu a soberania de Israel, nem a comunidade internacional.

Colinas de Golâ

Fonte: Sarvis, Jerusalém

Orações chaves nas cartas do apóstolo Paulo

Quando tomamos nosso tempo e buscamos a Deus, temos maravilhosas orações do Novo Testamento onde podemos usar palavras para expressar nosso desejo por mais dele e nosso desejo de concordar com sua vontade.
Abaixo estão algumas das muitas orações do Novo Testamento que nos ajudam e fortalecem nosso relacionamento com Deus.

◊   ◊   ◊

Romanos 15:5,6;13
“Ora, o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus, para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.
Ora, o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo.”

ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém! (Rom. 16:27)

Efésios 1:15-19

Pelo que, ouvindo eu também a fé que entre vós há no Senhor Jesus e o vosso amor para com todos os santos, não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações,  para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação, 18 tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos 19 e qual a sobre-excelente grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder,

Efésios 3:14-19

14 Por causa disso, me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, 15 do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome, 16 para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior; 17 para que Cristo habite, pela fé, no vosso coração; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, 18 poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade 19 e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.

Filipenses 1:9-11

E peço isto: que o vosso amor aumente mais e mais em ciência e em todo o conhecimento. 10 Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros e sem escândalo algum até ao Dia de Cristo, 11 cheios de frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.

Colossenses 1:9-14

Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; 10 para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus; 11 corroborados em toda a fortaleza, segundo a força da sua glória, em toda a paciência e longanimidade, com gozo, 12 dando graças ao Pai, que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz.

13 Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor, 14 em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados;

1 Tessalonicenses 3:12,13

E o Senhor vos aumente e faça crescer em amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco; 13 para confortar o vosso coração, para que sejais irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, com todos os seus santos.

1Tess. 5:23,24

E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 24 Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.”

O Fantasma do Purim e o príncipe da Persia

A Festa do Purim está prestes a rugir pela cidade!

Aqueles que amam as Escrituras meditarão mais uma vez no pergaminho judeu-persa de Ester – lembrando a agonia e o êxtase de como o povo judeu quase foi destruído por um trama maligno que se passou no Irã. Os judeus em todo o mundo lerão o Megillah (o pergaminho de Esther), vestirão-se de fantasias, realizarão peças de Purim e, claro, comerão quantidades abundantes de “homentashn”- a palavra iídiche para bolachas triangulares cheias de papoula, conhecida como ‘oznei Haman’ “Orelhas de Haman” em Israel).

Este feriado é uma recomendação bíblica para o povo judeu celebrar (Ester 9: 26-32). Na Bíblia, a horrível ameaça de genocídio contra os filhos de Jacó é incrivelmente frustrada pelo Deus dos hebreus, cujo nome está surpreendentemente ausente do livro de Esther. O alívio nervoso derruba uma alegria exuberante para cada geração de judeus que, de algum modo, conseguem sobreviver às contínuas tentativas de Satanás de destruir Israel.

Aqui estão algumas breves Pepitas do Pergaminho de Ester, essa joia bíblica pouco conhecida.

Superpoderes têm um registro bastante consistente de se voltar contra o povo judeu

O rei persa Ciro foi proféticamente homenageado por Isaías e recebeu o título de “Meu ungido” (Isaías 45: 1). O Deus de Israel o inspirou a abrir as portas da restauração e libertar os hebreus, encorajando-os a retornar à sua pátria Prometida (2 Crônicas 36: 22-23) em 539 aC.

No entanto, apenas sessenta anos depois, Hamã levantou-se para conduzir um genocídio patrocinado pelo Estado contra a nação judaica. Embora a rainha Esther fosse a esposa do rei persa (e perto da sede do poder), Satanás conseguiu penetrar no conselho interno do rei e transformou a monarquia persa em uma arma forjada contra o povo de Jacó.

Se uma superpotência antiga pode se transformar de abençoar Israel para amaldiçoá-lo  em tão pouco tempo, tais eventos não poderiam acontecer em nossos dias também? A única proteção contra uma reviravolta tão quente é um fundamento que se baseia  numa compreensão bíblica do chamado e do destino de Israel, bem como um compromisso de honrar a Deus honrando o Seu povo.

Medo, ciúmes e cobiça alimentam as raízes do anti-semitismo

O ódio assassino de Hamã por Mordechai foi provocado pela falta de vontade do homem judeu em se curvar  diante dele (Ester 3: 5-6). Foi apenas um pequeno passo para planejar o assassinato em massa do povo de Mordecai. As inseguranças e medos de Hamã o levaram à influência demoníaca – um anti-semitismo marcado pelo ódio assassino.

O suave apelo de Haman ao rei Ahashverosh (Assuero em inglês, Xerxes em grego ou Khsharyasha no persa antigo) centrou-se em três acusações contra o povo judeu:

Os judeus são diferentes e vivem separados. Essas pessoas são vistas como perigosas na mente daqueles que temem aqueles que são diferentes: “Há um certo povo espalhado e disperso entre os povos em todas as províncias do seu reino” (Ester 3: 8)

• Os judeus são suspeitos de traição aos seus países hospedeiros por seguirem ensinos revelados que dizem ser de Deus: “Suas leis são diferentes das de todas as outras pessoas e elas não observam as leis do rei” (Ester 3: 8)

Os recursos financeiros suados do povo judeu precisam ser tirados deles à força, até mesmo por opressão e assassinato:  “Se isso for agradável ao rei, que seja decretado que sejam destruídos, e eu pagarei dez mil talentos de prata para o mãos dos que trabalham no negócio do rei, para colocar no tesouro do rei. ”O rei disse a Hamã:“ A prata é tua, e o povo também, para fazeres com eles o que quiseres ”(Ester 3: 9-11 )

Medo, ciúme, suspeita e cobiça estão na raiz do anti-semitismo. Isso foi verdade para Hamã, para os samaritanos, para os Pais da Igreja, para os exércitos das Cruzadas e da Inquisição, para Martinho Lutero, para Hitler, para Stalin e para grande parte do mundo árabe e islâmico de hoje.

Como podemos orar:

•Ore pra que YHVH venha frustrar as estratégias genocidas do Príncipe da Pérsia em nossos dias.
  •Ore para que o povo judeu seja protegido de todos os que lhe fazem mal
  •Ore por crentes e intercessores proféticos em todo o mundo para tocar no coração de Deus sobre essas questões.
  • Ore pelo levantar do exército de Ezequiel rapidamente e em nossos dias.

 

FONTE: Avner Boskey

Texto completo em Inglês:  www.davidstent.org

 

Sim, eu amo a mensagem da Cruz! (1a. parte)

CruzdeCristo

A cruz de Cristo,  é um dos temas centrais de nossa fé cristã. Sem a cruz o Cristianismo é apenas mais uma religião cheia de rituais, dogmas e vãs filosofias. É claro, não estou aqui mencionando a cruz, como um objeto a ser carregado ou pendurado no pescoço. A cruz de Cristo é muito mais do que um crucifixo!

Louvo a Deus pelos pregadores que ainda hoje ousam pregar sobre esse tema.  Mesmo sabendo que para muitos a crucificação de Jesus, ainda hoje traz a memória um evento assustador!

“Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus.” (I Co. 1:18)

Nos dias do apóstolo Paulo a  morte na cruz era considerado algo extremamente vergonhoso.  Mas desde o momento em que Jesus o encontrou no caminho de Damasco, ele passou a dar ênfase à obra que Cristo realizou na cruz.  E também a viver as implicações de uma vida centrada na cruz.

É do autor Bob Sorge, uma das melhores colocações que já li sobre o tema:

  • “O Salmo 91:1 aponta diretamente para a Cruz de Jesus Cristo: “Aquele que habita  no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente.” Você não pode chegar mais perto da sombra do Onipotente do que quando você está abraçando a cruz. A sombra da Cruz é o lar dos santos! A cruz é o lugar mais seguro da terra.”

Sim, a sombra da Cruz é o lugar mais seguro que existe. É aqui que somos protegidos do engano e guardados de toda decepção.

É na cruz que a verdade se transforma em graça.

É sábio aquele que canta, e não somente canta mas crê nas palavras deste hino antigo:

“Sim eu amo a mensagem da cruz

Té morrer eu a vou proclamar

Levarei eu também minha cruz

Té por uma coroa trocar”.  (Harpa Cristã – 291)


“Se a cruz não for o centro de nossa religião, a nossa religião não é a de Jesus”.   (John Stott)