A Idolatria e o temor do Senhor (3)

Se rejeitarmos Deus, algo precisará ocupar seu espaço. Esse vácuo que existe dentro de nós, o qual pertence a Deus, muitas vezes deixamos ser ocupado por alguém ou alguma coisa. Quando isto acontece tornamo-nos pessoas idolatras. E a idolatria é algo que Deus abomina. Isso Ele deixa bem claro no primeiro e segundo mandamento:

 “Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem  e faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam os meus mandamentos.” (Êxodo 20:2-6)

A palavra de Deus está cheia de versos que se referem à idolatria.  Escolhi apenas alguns pra compartilhar aqui com vocês. Leia abaixo:


Confundidos sejam todos os que servem a imagens de escultura, que se gloriam de ídolos inúteis; prostrai-vos diante dele todos os deuses. (Salmo 97,7)

Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens. (Salmo 135:15)

Não seguirás outros deuses, nenhum dos deuses dos povos que houver à roda de ti. (Dt.6:14)

Portanto, fala com eles e dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Qualquer homem da casa de Israel que levantar os seus ídolos no seu coração, e puser o tropeço da sua maldade diante da sua face, e vier ao profeta, eu, o Senhor, vindo ele, lhe responderei conforme a multidão dos seus ídolos; (Ez. 14,4)

Portanto, meus amados, fugi da idolatria. (1 Co 10:14)

Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria. (Col. 3:5)

Porque é bastante que, no tempo passado da vida, fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borracheiras, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias; (1 Pedro 4:3)

Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira. (Apocalipse 22,15)

Socorro!

Eu estou feliz por não conseguir me lembrar muitas das circunstâncias, mas eu ainda me lembro de que alguns anos atrás, eu estava tão perturbado com muitas coisas, que por toda a noite eu continuava clamando a Deus, “Socorro!”

No entanto, nunca cheguei na sala do trono! Durante toda a noite, meus pensamentos estavam em mim, meus problemas e minhas necessidades.

Nós não “entramos por suas portas,” clamando, “Socorro!” Nós nem sequer entramos por suas portas confessando nossos pecados. Aliás, nós nem sequer sabemos que pecados confessar até chegarmos diante d’Ele.

Entramos suas portas com ação de graças e louvor (cf. Sl. 100). Isto pode ser difícil no começo, mas então nós começamos a entrar na glória de Quem Deus é, o que Jesus fez por nós, o trabalho de Seu Espírito em nossas vidas, e ficamos perdidos num mar de esperança e confiança. Estamos novamente cientes de Sua bondade, Sua misericórdia, Seu amor, e Seu perdão.

Por exemplo, talvez ao dirigir para trabalhar todas as manhãs, ou quando apenas despertando e prestes a sair da cama, você diz  coisas ao Senhor pelo o qual você é grato: “Senhor, muito obrigado pelo dia ensolarado de ontem”, ou “Senhor, eu realmente gostei de poder almoçar junto com os meus amigos. Obrigado por me permitir conectar me com eles.” Mesmo as menores coisas do dia a dia que entram e saem de nossas vidas (seja eventos, pessoas ou natureza)  vale a pena darmos graças ao Senhor.

Quaisquer que sejam nossas circunstâncias, por mais grave que seja nossas necessidades, vamos olhar para longe de nós mesmos e olhar para Ele. Em gratidão! E louvor! O melhor ainda está à frente! Para todos nós que somos seus seguidores!

Texto de Don Finto / Tradução – Mary Kern                                          homem-orando

O Salmo 119 e a beleza da Lei do Senhor

O Salmo 119 é o maior salmo entre os 150 salmos que temos na Bíblia. Ele é também o capítulo mais longo das sagradas escrituras. O salmo coloca a Palavra de Deus num lugar de honra e enfatiza a importância dela em nossas vidas.

Uma vez encontrei uma senhora alemã que havia memorizado o Salmo 119 por inteiro, ainda em sua adolescência. Isso acendeu em mim o desejo de memorizar pelo menos algumas porções deste precioso salmo.

Há dez palavras pelas quais a Sagrada Escritura é mencionada neste capítulo, e cada uma expressa o que Deus espera de nós e o que podemos esperar dele. Encorajo você a ler e descobrir quais são estas dez palavras.

É muito importante fazermos um estudo deste capítulo, se quisermos aprender mais sobre o quão importante a palavra de Deus é pra nossas vidas.

O autor Andrew Murray em seu clássico “A vida interior” nos dá algumas sugestões pra este estudo, as quais compartilho aqui com vocês:

  1. Repare em todos os diferentes nomes usados para a Palavra de Deus.
  2. Repare nos diferentes verbos que expressam o que devemos sentir e fazer com relação à palavra.
  3. Enumere e anote quantas vezes o autor se expressa no tempo passado, por ter guardado e observado os testemunhos de Deus, e perseverado e se regozijado neles.
  4. Estude depois as orações e anote os diferentes pedidos com referência à Palavra, se é o desejo de entendê-la, ou o poder de observá-la. Repare com especial cuidado na orações como as seguintes: “Ensina-me os teus decretos” e “Dá-me entendimento”.
  5. Enumere os versículos que fazem alusão à ansiedade, seja quanto à situação do leitor ou quanto à situação dos seus inimigos, seja quanto aos pecados dos ímpios ou quanto à demora de Deus “em ajudá-lo”. Aprenda como nas épocas de provação precisamos da Palavra de Deus e de como somente ela pode nos trazer consolo.                                                E pra concluir deixo um verso que foi minha inspiração pra o nome deste blog:                                                                                                               Os teus testemunhos recebi-os por legado perpétuo, pois são o prazer do meu coração.”  (Salmo 119:111)

Fato histórico: O Parlamento da República Checa reconhece JERUSALÉM como capital de Israel

Em Jerusalém, 24 de maio, o 50º aniversário da reunificação da cidade sob a soberania israelense, a câmara de deputados do Parlamento checo, em um voto de 112 a 44, aprovou uma resolução reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. Ao pedir ao governo que adote esta mesma resolução, eles também condenaram como incitamento decisões recentes da UNESCO, que não reconheceram os direitos dos judeus a Jerusalém, exigindo que os pagamentos à UNESCO chegassem ao fim. Isto vem como o mais recente em um longo registro de gestos amigáveis pelos checos em direção ao Estado judeu. Há sessenta e nove anos, a República da Checoslováquia foi um dos poucos países a ajudar Israel a obter armas durante sua Guerra pela Independência. No dia de Jerusalém, o presidente checo enviou uma saudação especial em nome de seu país.

Atualmente, nenhum país reconhece oficialmente Jerusalém como a capital da nação ao ponto de colocar sua embaixada lá. Na semana passada, o presidente Trump seguiu seus predecessores ao assinar um adiamento de mover a embaixada dos EUA “por razões de segurança”. (A lei dos EUA de 1995 exige a deslocalização da embaixada em Jerusalém, mas permite o vacilar, que deve ser assinado a cada seis meses.) A Casa Branca enfatizou que a assinatura do Sr. Trump não deve ser vista como uma anulação de sua promessa de campanha para mover a Embaixada, mas sim uma decisão relacionada ao “momento” da mudança.

À medida que Israel se move em direção ao seu 70º ano de renascimento, as nações entraram em uma temporada em que enfrentarão escolhas relacionadas ao alinhamento com Sião, escolhas, cujos resultados podem ter graves consequências em seus destinos nos próximos anos. Embora nós não sugerimos aqui que “onde a embaixada de uma nação está” seja o fator decisivo, pode ser um indicador de onde está o alinhamento.

Ao intercedermos pela paz de Jerusalém, oremos pelos líderes de nossas nações, nossos parlamentos, congressos, presidentes, primeiros ministros – que sejam movidos a buscar o bem de Jerusalém. O salmo 122.6 promete “tranquilidade” àqueles que a amam – mas o contrário (Zacarias 12: 2-4) espera as nações que tentam coagi-la e ameaçá-la, e as pessoas a quem Deus confiou sua vigilância, com desprezo.

P1010998     Fonte: M. Sarvis /Jerusalem