Terroristas massacram cristãos no Egito, 26 mortos…

Uma triste notícia veio do Egito na manhã de ontem, dia 26: terroristas “atacaram um ônibus transportando cristãos coptas no centro do Egito, matando pelo menos 26 pessoas e ferindo outras 25”, segundo relatos da BBC.

O ônibus viajava para o Mosteiro de São Samuel, o Confessor, 135km (85 milhas) ao sul do Cairo, da província de Minya quando foi atacado.

Por favor, orem por nossos irmãos e irmãs coptas cristãos no Egito para que sejam testemunhas fortes e corajosas e ousadas de nosso Senhor Jesus Cristo, apesar desses ataques maléficos do Estado Islâmico e de outros grupos jihadistas. Por favor, ore também pelo Presidente El-Sisi e demais líderes do Egito, incluindo a polícia e as forças de segurança, para que o Senhor conceda favor a seus esforços de estabelecer uma segurança duradoura e calma em todo o país para os cristãos e para todos os egípcios.

A Bíblia é clara: Deus ama o povo do Egito. Muita história bíblica aconteceu no Egito. Muitos líderes bíblicos importantes viveram no Egito em um ponto de suas vidas – José, os patriarcas, toda a nação de Israel, Moisés, e o profeta Jeremias, para citar alguns. Mesmo o Senhor Jesus viveu ali por algum tempo com seus pais, quando Ele era jovem. João Marcos levou o Evangelho ao Egito no Primeiro Século, e o Egito se tornou um grande centro de discipulado desde o início. O profeta Isaías indica um futuro muito difícil, mas também muito abençoado para o Egito (ver Isaías 19), por isso é importante que oremos fielmente pelos cristãos do Egito, e todos os egípcios nestes tempos desafiadores e tumultuados e encontremos maneiras de estar com eles e ajuda-los.

O ônibus viajava numa rodovia pelo deserto, indo na direção deste monastério.

 

 

 

FONTE:  https://flashtrafficblog.wordpress.com/2017/05/26/breaking-news-terrorists-massacre-christians-in-egypt-26-dead-25-wounded-please-pray-heres-the-latest/

Minha mãe partiu

Depois de uma intensa luta pela vida entre pronto-socorro e hospitais, minha mãe partiu pra eternidade no início da semana.

Hoje (dia 26) é o dia do aniversário dela. Ela iria completar 73 anos.

Mineira natural de Araguari…

Sou grata a Deus por tudo o que aprendi com ela.

Deixo aqui uma foto que fiz dela na comemoração de aniversário que fizemos ano passado:

Israel, 69 anos depois…

Terça-feira, dia 02 de maio, foi o Dia da Independência em Israel. Desde segunda-feira a noite, os cidadãos de todo o país celebraram os 69 anos do milagre que ainda está em curso; um povo disperso por quase 2.000 anos, não só foram reunidos e trazidos de volta, como também lhes foi concedida a soberania sobre a terra prometida a eles para sempre pelo Deus de seus antepassados. Como fomos lembrados em Jeremias 31: 35-36, a presença contínua “do sol para luz do dia e da ordem fixa da lua e das estrelas para luz da noite” é testemunha de que “a semente de Israel” nunca deixou de ser uma nação diante do Senhor.

Jerusalem Post citando um relatório do Bureau Central de Estatísticas, fez algumas comparações entre o Estado judeu em seu nascimento, e o que ele é hoje:

* Hoje, a população de Israel é de 8,68 milhões. Deste número 6.484 milhões de habitantes são judeus, 1,808 milhões são árabes.
* Em 1948, havia 11,5 milhões de judeus no mundo, dos quais 6% viviam em Israel. Em 2015, havia 14.411 milhões de judeus no mundo, 43% dos quais vivem em Israel. Logo, o país irá chegar ao ponto onde a maioria dos judeus do mundo vivem em Israel.
* No ano passado, 174.000 bebês nasceram em Israel; foram relatados 44.000 mortes.
* No ano passado, cerca de 30.000 novos imigrantes chegaram a Israel.
* Hoje ¾ da população judaica de Israel são Sabra (nascido em Israel) -mais que o dobro do percentual no 1948.
* Em 1948, Israel tinha apenas uma cidade, Tel Aviv, com mais de 100.000 habitantes. Hoje, 14 cidades têm populações superiores àquele número, sendo que oito cidades contam com mais de 200.000 habitantes.
* Em 1955 a taxa de desemprego enfrentado por Israel era de  7,2%; em 2016 desemprego situou-se em 4,8%.
( “On 69º aniversário, Israel em 8.680.000”: The Jerusalem Post, 28 de abril 2017)