Publicado em Israel, Nações

O holocausto – Poderia acontecer de novo?

 

0,,15894369_303,00O dia de lembrança do holocausto, Yom ha Shoah, foi relembrado em Israel no dia 16 de abril. Cerimônias aconteceram  relembrando o horror que a menos de 80 anos atrás, surgiu, buscando mais uma vez , o extermínio da raça judaica .

A palavra hebraica para ” Holocausto” é Shoah, que significa catástrofe , calamidade, cataclismo, desolação. A palavra aparece várias vezes nas Escrituras ; no Salmos 35 : 8 e 63: 9 é a destruição que os inimigos do salmista deseja trazer sobre a sua alma , mas em que, como ele confia no Senhor , eles mesmos vão cair .

O nascimento de Israel como um “Estado judeu”, proveu um refúgio para os sobreviventes do Shoah- uma casa e bastião para os seus descendentes, esperançosamente de que  tal mal nunca mais aconteça. Na verdade, o slogan “Nunca mais!” tem sido passado de geração em geração desde então. Muito tem sido feito com a criação de museus, com livros e filmes e programas na crença de que “educação e  informação” sejam a melhor defesa contra a sua repetição.

No entanto, nos sentimos compelidos a apontar que aquelas nações mais no coração da ideologia que gerou o Holocausto na década de 1930, foram por mais de 400 anos consideradas o centro de educação civilizada ocidental, cultura, e na maior parte do tempo, poderíamos acrescentar, da religião cristã. Uma coisa que nós deveríamos ter aprendido com isso é que a educação secular nunca, por si só, pode conter-deter a crescente onda do mal.

Poderia acontecer algum outro Shoah?  Certamente o maligno gostaria que houvesse. Ele percebe que, com o estabelecimento e crescimento desta nação, e especialmente agora que há um remanescente messiânico desperto e crescendo na terra, e que os santos propósitos de Deus ainda não cumpridos para o seu povo antigo ainda estão em curso. Ele sabe que seu tempo é curto. E assim vemos novamente um anti-semitismo em ascensão.

Alguns dias atrás numa partida de futebol em Utrecht, na Holanda, onde o time visitante era de Amsterdã, uma cidade conhecida por sua presença judaica histórica, um grupo de fãs da cidade gritavam alto, “Hamas, Hamas, judeus para o gás. Meu pai estava nos comandos, minha mãe estava na SS, juntos eles queimaram os judeus, porque os judeus queimam melhor! “ O canto, captado em vídeo e circulado pela mídia holandesa, rapidamente gerou pedidos de desculpas e promessas de se localizar os fãs da ofensa. Mas, como foi apontado em um artigo do Washington Post, isso não foi um incidente isolado – apenas o último de uma série de episódios  anti-semitas semelhantes que estão estragando os jogos em toda a Europa continental e Grã-Bretanha (“cânticos nazistas no jogo de futebol holandês . “: The Washington Post, 10 de abril de 2015).

“Onde há fumaça, há fogo” – e onde existem as sementes com tais expressões vis de ódio, isso pode brotar ligeiramente no ambiente nacional em forma de ações.  Entre os intelectuais dos países “ocidentais”, anti-semitismo tem sido, nos últimos anos, mais propensos a focalizar a sua ênfase sobre a existência da nação de Israel em si, ocultando-se atrás de uma garantia repetida de que não é “anti-judeu” -apenas “anti-sionista”.

E, claro, por todo o mundo, o Islã se alimenta num ódio aos judeus, que é extraído de sua fonte primária, ou seja, o Corão.

(Fonte: M & N Sarvis, de Jerusalém)

 

Publicado em História das Nações, Nações

É hoje, o dia de lembrança do genocídio dos cristãos armênios 100 anos atrás

Hoje, sexta-feira, está sendo celebrado na Armênia o dia nacional de lembrança do massacre, que atingiu principalmente os cristãos, já que o cristianismo tem sido a religião oficial dos armênios por dois mil anos.

Infelizmente somente 22 nações reconheceram até hoje o genocídio dos cristãos armênios. A maioria dos países, incluindo o Brasil nunca fizeram uma declaração oficial reconhecendo esse acontecimento histórico.

Pessoalmente, tenho uma grande admiração pelo povo armênio. Já tive oportunidade de conhecer algumas mulheres armênias, que me deixaram uma boa impressão sobre eles.

Li um ótimo artigo sobre o tema, escrito pelo autor Julio Severo, o qual compartilho aqui com vocês: http://bit.ly/1FFdtit

Abaixo está o mapa da Armênia antes de 1915.

Armenia before 1915

Publicado em Escrituras Sagradas, Vida Cristã

JESUS, nosso exemplo maior de amor e humildade

 “Ora, antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim. E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse, Jesus, sabendo que o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas, e que havia saído de Deus, e que ia para Deus, levantou-se da ceia, tirou as vestes e, tomando uma toalha, cingiu-se. Depois, pôs água numa bacia e começou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim? Respondeu Jesus e disse-lhe: O que eu faço, não o sabes tu, agora, mas tu o saberás depois. Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça. 10 Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos. 11 Porque bem sabia ele quem o havia de trair; por isso, disse: Nem todos estais limpos. (…)

34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. 35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.”

Ao ler meditar no texto do lava pés é bom nos fazermos esta pergunta, como posso lavar os pés de meus irmãos e irmãs de uma forma prática?

washing-of-feet001

Publicado em Estudos Bíblicos, Obra da cruz

O Sangue do Cordeiro

O CORDEIROO Sangue do Cordeiro (por Asher Intrater)

Páscoa é tempo de nos lembrarmos do sangue do Cordeiro. O Pentateuco está repleto com imagens de sangue.  Desde o primeiro animal morto para dar vestes a Adão e Eva, Abel- o justo, a circuncisão de Abraão, a túnica de José,  a aliança do Sinai, os sacrifícios do templo, o dia da expiação, etc.

Todas estas imagens gráficas foram projetadas para gravar na consciência coletiva e imaginação do povo de Israel a importância da expiação pelo sangue. Sangue é mencionado cerca de 300 vezes no Tanach (antigo testamento)  e 100 vezes no Novo Testamento. Na crucificação de Jesus, vemos o cumprimento destes símbolos.  O sangue de Jesus 2

João 19:34

“Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água”.

A água e o sangue – ambos físicos; todavia a água também representa o espírito de Jesus,  e o sangue Sua alma. Nos termos bíblicos, a alma está no sangue.

Leviticus 17:11

Porque a alma da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que faz expiação, em virtude da vida.

A maioria das traduções está incorreta. Leia novamente. É por causa da alma que o sangue faz expiação.

A regra da expiação é “substituição igual” ou “substituição”. Sua alma (pura)  é dada em lugar de nossa  alma (pecadora) . A alma dentro do sangue faz expiação por nossas almas. Alma substitui alma.

Exodus 21:23-25

a pena será alma por alma, olho por olho, dente por dente, mão por mão… ferida por ferida.

A palavra aqui pra ferida é a mesma pra ferida ou pisadura de Isaías 53:5 – Por suas pisaduras somos sarados. Sua ferida substitui nossa ferida e somos sarados. Sua alma substitui nossa alma e somos expiados.

O sangue é o veículo da alma. Quando dizemos que o sangue faz expiação, queremos dizer a alma.
Os soldados que estavam ao lado da cruz de Jesus talvez tenham tido algum sangue respingado sobre eles, mas se eles não entenderam e creram no significado espiritual, o sangue físico não teve nenhum efeito na salvação deles. Jesus não somente “sangrou” na cruz, Ele também derramou Sua alma.

Isaiah 53:12
…porquanto derramou sua alma na morte;

Quando Jesus estava sangrando, Seu corpo se esvaziou de Sua alma. Sua alma faz expiação por nossas almas. Católicos, protestantes e judeus bebem vinho como um símbolo da santificação em suas cerimônias. Vinho representa sangue o qual representa a alma. O elemento chave não é o vinho ou o sangue, mas a alma de Jesus.

Esta revelação é pessoal, dolorosa, emocional, embaraçosa, chocante, íntima, nauseante, desafiante e confrontadora.  É inconcebível, insuportável, quase inacreditável.

Ousamos nós meditar sobre uma coisa tão terrível como a alma do Filho de Deus que escoa para fora do seu corpo, só para nos salvar?

A palavra derramou em Isaías 53:12 é a mesma palavra do hebraico moderno pra infusão, como uma transfusão de sangue num hospital. Expiação é o cancelamento da punição e também uma vital transformação da alma. A alma de Jesus é “injetada” (como se fosse) em nosso ser como numa transfusão de sangue.

A alma d’Ele toca a nossa e nos transforma totalmente. Esta transformação da alma começa como uma experiência de novo nascimento e continua com o processo de santificação.

*Asher é um judeu que se converteu a Jesus em 1978. Ele mudou dos Estados Unidos pra Israel em 1992 e hoje é pastor de uma congregação em Jerusalém (Ahavat Yeshua). Ele e sua esposa são diretores do ministério “Revive Israel”, tendo como alvo discipular e treinar jovens israelenses, pra expandir o Reino de Cristo em toda terra.