Publicado em Escrituras Sagradas, Israel, Torah

SUKKOT: Tempo de lembrar e celebrar (2)

A festa de Sucot/Tabernáculos é, antes de tudo, uma lembrança da maneira como Deus cuidou dos filhos de Israel, quando eles peregrinaram do Egito para a Terra Prometida. Embora eles não tivessem casas permanentes,  foram guardados e protegidos por Deus. Sucot é também um lembrete de que Deus  desceu para habitar entre o seu povo, sendo que a glória Shekinah,  era um símbolo visível da sua presença, que enchia o tabernáculo durante a jornada.

Sucot é a sétima e última das festas das quais Deus ordenou a Moisés,  instituir para os Filhos de Israel observar.

Ainda hoje, eles  constroem esses pequenos abrigos (Sucot) para uso durante o festival. Além da bênção com o lulav, também recolhem folhas, galhos frutíferos de folhagens e frutas perfumadas brilhantes para decorar a sucá. Isto traz à mente como quando Israel  se deslocava no deserto de um lugar para outro nessas habitações temporárias, e a presença de Deus sendo com eles,  portanto, uma fonte de vida e beleza.

A armação e decoração da sucá é uma ocasião especial  para as famílias.

Sucot é tempo de alegria e ação de graças ao Senhor por Sua provisão e sustento, somos lembrados que de fato ainda estamos em habitações temporárias-que, como diz uma velha canção americana, “este mundo não é meu lar, estou apenas de passagem por aqui…”

E pra concluir, nada melhor do que lembrar as eternas palavras do apóstolo Paulo:

“Sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos da parte de Deus um edifício, casa não feita por mãos, eterna, nos céus.”  (2 Co. 5:1)

Succah